Balanço aponta arrastões de combate à dengue promovidos

De acordo com balanço da Secretaria Municipal de Saúde, os arrastões promovidos pelo Plano Municipal de Combate à Dengue (PMCD) desde o fim do mês de outubro recolheram 405 toneladas de materiais inservíveis e visitaram mais de 33 mil imóveis.

De acordo com o coordenador do PMCD, André Rossetto, dos 15 eventos programados desde o dia 27 de outubro e encerrados no último sábado (16), com o arrastão realizado no Algodoal, apenas um foi cancelado – no dia 15 de dezembro na Pauliceia em razão da chuva.

Ainda segundo Rossetto, das 405 toneladas de materiais retirados de 33.882 imóveis, aproximadamente 150 eram criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. “Entre esses materiais, os mais frequentes encontrados foram pneus, latas, vasos sanitários e materiais plásticos que deveriam ser encaminhados para reciclagem e que, por algum motivo, ficaram estocados nas residências, sem ter uma destinação adequada”, diz.

O coordenador do PMCD afirma que a colaboração da população é fundamental para a prevenção da doença e que apesar do encerramento dos arrastões, o trabalho de combate continua. “Agora esperamos que a população colabore mantendo seus imóveis sem criadouros pois não faltou oportunidade de eliminá-los nestes últimos meses. Seguiremos com o trabalho de contenção da transmissão do vírus da dengue, por meio dos bloqueios mecânico e químico (nebulização) nos bairros onde ocorrerem casos da doença. Nossa expectativa é que neste ano tenhamos um número de casos bem abaixo do que tivemos em 2012”, diz.

 

Em ordem cronológica, foram realizados arrastões nas regiões do Novo Horizonte, São Jorge, Vila Cristina (duas vezes), Pauliceia, Monte Líbano (duas vezes), Jaraguá e Paulista, Morumbi, Piracicamirim, Vila Sônia (duas vezes), Bosques do Lenheiro e Algodoal.

Deixe um comentário