CCZ identifica 11° caso de morcego com raiva

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) recolheu um morcego contaminado com o vírus da raiva no Centro. O animal foi encontrado vivo, caído na sacada do móvel do munícipe que entrou em contato com o CCZ. De acordo com Regina Lex Engel, bióloga do CCZ, o animal de hábito insetívoro é da espécie Nyctinomops laticaudatus. Este foi o 11° mamífero identificado com raiva na cidade.

Por estar em campanha de vacinação antirrábica de cães e gatos, o CCZ não fará o “bloqueio” ou vigilância no bairro, como de costume. A região de delimitação de foco do caso recebeu a campanha no dia 26 de outubro. Contudo, os moradores que não vacinaram seus pets na ocasião devem colocar em dia a imunização. Para isso, podem procurar o Canil Municipal de segunda à sábado, entre 8 e 17 horas, na rua dos Mandis, s/n, no Jupiá. O animal também pode ser vacinado no próximo sábado, na região de Santa Teresinha, onde será realizado o último dia da campanha de vacinação.
“Com a entrada da primavera, somos ‘contemplados’ com a volta da incidência de casos de raiva em quirópteros, pois há um aumento significativo no número de insetos no ambiente, propiciando o aumento na população de morcegos insetívoros nas cidades, aumentando-se também, a probabilidade de encontrarmos animais doentes”, explica Regina.
Os morcegos que forem encontrados caídos, vivos ou mortos, devem ser encaminhados ao CCZ para investigação. Este procedimento é essencial para a continuidade do bom trabalho de vigilância passiva do vírus da raiva, uma vez que mostra a conscientização das pessoas quanto à importância de notificação e envio de amostras para serem analisadas para possíveis diagnósticos positivos e um conseqüente e necessário trabalho preventivo na área de ocorrência de circulação de vírus. Cabe ressaltar que a Zoonoses só recolhe animais suspeitos de estarem doentes, ou seja, animais caídos no chão, nas residências ou ruas, ou animais voando dentro de imóveis. Os morcegos que estejam  em condições normais, de acordo com o hábito da espécie, não são recolhidos, como por exemplo, aqueles que estejam utilizando árvores como abrigo.
Para solicitar o recolhimento de amostras de morcegos, vivos ou mortos, o telefone de contato do Canil é 3427-2400, de segunda a sexta-feira, das 7 às 15 horas. Fora desse expediente, não existe plantão para recolhimento de amostras, funcionando apenas, o plantão do Canil que poderá dar informações de como proceder no caso de aparecimento de morcegos caídos nos imóveis ou mesmo de como os animais devem ser levados. Caso o animal esteja vivo, o morador deve colocar um balde para cobrir o animal com um peso em cima e no dia seguinte acionar o CCZ; se o morcego estiver morto, pode ser recolhido com o auxílio de uma vassoura e pá e armazenar em local seguro até que o CCZ faça o recolhimento.

Deixe um comentário