Comunicado da Prefeitura sobre Enchente

– Durante o início dessa semana, (dias 10, 11 e 12) praticamente todo Estado de São Paulo foi atingido por grande volume de chuvas.

– Essas águas começaram a chegar aos rios Piracicaba, Corumbataí e Capivari na tarde desta terça-feira, aumentando rapidamente a vazão.

– A Defesa Civil recebeu o alerta por volta das 18hs de terça-feira (12) quando iniciou a operação padrão elaborada pela Comissão Municipal de Combate à Enchente.

– Foram usados na operação 8 caminhões das secretarias de Obras, Sedema e do Semae, além de duas viaturas da Guarda Civil e duas viaturas da Defesa Civil, com um total de 35 homens para remoção das famílias.

– Até as 16 horas de hoje (13) foram removidas pela Equipe da Defesa Civil 10 famílias dos bairros Bongue, IAA, Vila Rios e da Região da Rua do Porto. As famílias tiveram seus pertences levados para casa de parentes.

– A maior vazão registrada até o momento foi de 5,87 metros na régua por volta das 10 horas da manhã de hoje, já às 16hs foi registrado 5,50 metros.

– Caso não chova mais, os rios devem voltar a sua calha até a próxima madrugada.

– Em alguns locais, por causa da rapidez com que os rios subiram, não foi possível chegar com os caminhões e equipes a tempo de fazer a retirada das famílias.

Seguem algumas dicas para as famílias que tiveram suas casas invadidas pela água.

PRECAUÇÕES NO REGRESSO AO LAR

Para evitar incêndios, choques elétricos ou explosões, proceda da seguinte forma:
• Desligue a energia elétrica e desconecte as tubulações de gás;
• Volte para casa durante o dia;
• Não use velas, lamparinas a álcool ou similares. Use lanternas a pilhas;
• Se sentir cheiro de gás, feche a válvula central, abra as janelas e saia de casa imediatamente. Avise a companhia de gás, não apague as luzes, nem faça nada que possa criar faíscas.
• Se surgir cheiro de queimado, sem que haja incêndio visível, desligue imediatamente o sistema elétrico. Evite os cabos de energia caídos, principalmente os que estiverem dentro de água;
• Evite andar em águas paradas;
• Não encoste ou coloque as mãos em postes ligados à rede elétrica;
Em área rural, cuidado com os animais peçonhentos.

LIMPEZA

a) As paredes, os pisos e todas as outras superfícies da casa devem ser limpas com água e sabão e desinfetados com uma solução forte de cloro, conforme as orientações abaixo descritas:
• Para um balde de 10 litros de água limpa, adicione 06 copinhos de café descartáveis (1 copo e meio de geléia) de água sanitária (a 2.5%);
• Para uma lata (18 litros) de água limpa, adicione 10 copinhos de café descartáveis (dois copos e meio de geléia) de água sanitária (a 2.5 %);
• Tenha cuidado em desinfetar muito bem as superfícies que irão ter contato com alimentos (refrigeradores, armários, aparadores, despensa, etc.);
• Também devem ser limpos com cuidado os lugares onde brincam as crianças;
• Coloque todas as roupas em água fervendo;
• Artigos que não possam ser lavados como colchões, móveis, devem ser secos ao ar sob o sol e submetê-los à ação de desinfetantes;
• Se possível limpe com vapor;
• se houve retorno de águas barrentas (lama) para dentro de casa use botas e luvas de borracha impermeáveis quando realizar a limpeza;
• Retire e despreze todo o material caseiro contaminado que não seja passível de desinfecção, tal como papéis, quadros, tapetes.

VACINAS

Lembre-se que na época das enchentes de verão são comuns os cortes, arranhões e outros ferimentos. Procure um posto de saúde e vacine-se contra o tétano.

MOSQUITOS

A grande quantidade de água parada que fica depois da enchente, provoca um aumento da população de mosquitos. Os mosquitos têm a sua maior atividade quando o sol nasce e quando ele se põe. Para proteger-se dos mosquitos use telas nas janelas e portas. Se possível use calça comprida e blusa de manga comprida. Os repelentes de insetos podem ser utilizados. Cuidado na sua utilização, leia as instruções, tendo cuidado maior com seu uso nas crianças.
Para controlar o aumento do número de mosquitos, elimine toda água parada existente em objetos como pneus, garrafas, vasos de plantas latas, etc.

SAÚDE E HIGIENE

É muito importante que você lembre as regras básicas de higiene durante o período de emergência. Sempre lave as mãos com sabão e água fervida ou clorada:
• Antes de preparar ou comer alimentos.
• Depois de usar o sanitário.
• Depois de participar de atividades de limpeza das enchentes.
• Depois de tocar artigos contaminados com as águas da enchente ou águas de esgoto.
• Evite andar com os pés descalços e caminhar em água de enchente, se possível não permitir que as crianças brinquem em áreas alagadas.
É possível que as águas da enchente contenham fezes dos sistemas de esgoto transbordados, bem como subprodutos agrícolas e industriais.
As doenças mais comuns que ocorrem após enchentes são:
• Leptospirose (transmissão pelo contato direto ou indireto com urina de animais infectados).
• Dengue (transmissão através da picada de mosquito Aedes aegpty).
• Hepatite A e E (transmissão fecal /oral – direta ou indireta).
• Gastroenterite aguda (pela ingestão de alimentos e/ou água contaminados).

Sinais e sintomas dessas doenças:

Dengue Clássico: Doença febril aguda com duração máxima de 07 dias, acompanhada de pelo menos dois destes sintomas: dor de cabeça, dor nos olhos, dores pelo corpo, dores nas articulações, cansaço, erupção cutânea.
Febre Hemorrágica do Dengue: Todo caso suspeito de dengue clássico com manifestações hemorrágicas. Exame: hematócrito elevado, trombocitopenia.
Hepatite Viral ( A ): Suspeito sintomático: febre, pele amarelada, mal-estar geral, fadiga intensa, falta de apetite, náuseas, vômitos, dor abdominal, urina escura, dor de cabeça.
Leptospirose: Febre, dores no corpo, dor nas panturrilhas, vômitos, calafrios, alterações do volume urinário, congestão ocular, pele amarelada, fenômeno hemorrágico e/ou alterações hepáticas, renais e vasculares.
Após a chuva a leptospirose é a principal preocupação devido à grande possibilidade de epidemia, conforme tem sido observado nos casos de inundações e enchentes.
A Guarda Civil e todas as secretarias envolvidas na força tarefa de prevenção a Enchentes orientam os moradores das regiões de risco:

E SE O RIO ENCHER? O QUE É QUE FAÇO?

FAÇA ASSIM:

1) Recebido o aviso de “estado de alerta”:

a.Coloque seus principais documentos em um saco plástico para protegê-los

b.Prepare algo para iluminação de emergência (vela, lampião, lanterna)

c.Deixe pronta uma maleta com roupas, medicamento e outros pertences que necessite, caso tenha que sair rapidamente

d.Fale com um parente, familiar ou amigo onde possa ficar, se necessário

 

2) Recebido alerta que o transbordamento deverá acontecer nas próximas horas:

a.Eleve móveis e utensílios acima do limite que tem sido atingido pelas águas

b.Junte tudo que puder ser transportado

c.Prepare-se para deixar o imóvel

 

3) Confirmado o transbordamento:

a.Coloque móveis e utensílios em frente à sua casa para que possam ser levados para endereço que já informou à Defesa Civil

b.Caso ainda não tenha um caminhão para retirada dos seus pertences perto  da sua casa, ligue para os telefones de emergência

c.Antes de sair de sua casa feche todas as portas e janelas, desligue a força, a água e o gás.

1 comentário

  1. Pedro Paulo Krahenbuhl em 15/01/2016 às 03:31

    Pessoalmente, se eu fosse o prefeito, usaria até meu carro para ajudar, mas a rapidez da subida das águas, é imprevisível, mas pode ser calculada, quem sabe mais caminhões resolvessem o problema, que uma simples dragagem do rio resolveria, isso em tempo de seca , é lógico. Ou talvez uma mudança de secretário, né sr. prefeito, resolvesse. Acima de nossas ideologias, religiões e partdos, Piracicaba em primeiro lugar.

Deixe um comentário