Esclarecimentos sobre a campanha de vacinação contra a gripe

O governo do Estado de São Paulo, por meio da Divisão de Imunização do Centro de Vigilância Epidemiológica, decidiu realizar a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe 2016 em etapas.

De acordo com o comunicado enviado ao município, a medida ocorre por conta da situação epidemiológica da Influenza no país e em todo o Estado de São Paulo e visa a garantir a vacinação de todo o público-alvo da campanha.

O município de Piracicaba ainda aguarda a chegada das doses da vacina. O fornecimento é de inteira responsabilidadedo Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Estado da Saúde.

Segundo o comunicado do governo estadual, a vacinação terá início no dia 30 de abril (sábado) para crianças com idade entre seis meses e cinco anos incompletos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto) e trabalhadores da saúde.

Neste dia, serão disponibilizados 43 postos de vacinação em unidades de saúde da Atenção Básica de Piracicaba (PSFs, CRABs e UBSs), conforme relação abaixo.

Os idosos com mais de 60 anos serão vacinados na segunda etapa da campanha, que tem início no dia 9 de maio.

A vacinação das pessoas com doenças crônicas e dos encarcerados começa na terceira fase da campanha, a partir do dia 16 de maio. (São contemplados na vacinação os portadores de doenças crônicas como asma em uso de corticoide inalatório ou sistêmico, DPOC, bronquiectasia, fibrose cística, doenças intersticiais do pulmão, displasia broncopulmonar, hipertensão arterial pulmonar, crianças com doença pulmonar crônica da prematuridade, doença cardíaca congênita, hipertensão arterial sistêmica com comorbidade, doença cardíaca isquêmica, insuficiência cardíaca, doença renal (nos estágios 3, 4 e 5), síndrome nefrótica, paciente em diálise, atresia biliar, hepatites crônicas, cirrose, doença neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesidade (grau 3), transplantados e portadores de trissomia).

Inicialmente, a campanha segue até o dia 20 de maio, podendo ser prorrogada a critério do Ministério da Saúde.

Deixe um comentário