Especialista recomenda que gestantes sejam vacinadas contra influenza

A campanha de vacinação, realizada pela Secretaria Municipal de Saúde (SEMS) contra a influenza (gripe) atingiu sua meta em quase todos os segmentos definidos pelo Ministério da Saúde (MS). Apenas as gestantes ficaram abaixo do mínimo estabelecido: cobertura de 80% do público-alvo. Até o dia 30 de junho foram vacinadas apenas 60,21% das mulheres grávidas. Por isso a campanha foi estendida com o objetivo de ampliar a imunização.

De acordo com o coordenador da saúde da mulher, José Higino Ribeiro dos Santos Júnior, a gripe influenza é prevenível e todas as gestantes deveriam ir até ao posto de saúde mais próximo de sua casa para tomar a vacina, que é gratuita e muito eficaz. A vacina é trivalente e previne contra as gripes A H1N1, A H3N2 e B. Sendo que este ano o estado vive um surto de A H1N1, com índice elevado de mortes.

“Temos à disposição das gestantes o que há de mais moderno em vacina, que foi disponibilizada pela rede pública exatamente para evitar surtos de mortes. Por estar em um grupo mais vulnerável à infecção, as grávidas precisam se conscientizar da importância da proteção. Porque além de colocarem em risco a própria saúde, colocam também em risco a saúde dos seus bebês”.

Os demais grupos de risco, como idosos com 60 anos ou mais (94,2%), puérperas (92,05%), crianças com idade entre 6 meses e cinco anos incompletos (80,17%), trabalhadores da saúde (155,89%), alcançaram a meta de vacinação. Mesmo assim, aquelas pessoas que se enquadram nesses segmentos, mas ainda não foram vacinadas, também podem procurar o posto de saúde do bairro para a obtenção do serviço.

 

Sintomas e prevenções:

1. Se você apresentar febre, tosse ou dor de garganta, podem ser sintomas de gripe (influenza).

2. Ao procurar assistência médica, informe os sintomas na recepção da unidade de saúde.

3. Não vá à escola ou ao trabalho. Permanecer em casa até 24 horas após o desaparecimento dos sintomas.

4. Evitar aglomerações e ambientes fechados.

5. Grávidas, crianças menores, portadores de doenças crônicas e idosos são mais vulneráveis às complicações da gripe.

6. Manter a caderneta e vacinação atualizada

7. Cobrir sempre o nariz e a boca ao tossir ou espirrar (use lenços descartáveis ou proteja com o braço).

8. Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal.

9. Lavar as mãos com frequência com água e sabão ou utilizar álcool em gel.

10. Manter uma boa alimentação e hábitos saudáveis.

Deixe um comentário