Feimep recebe 2,5 mil pessoas na sexta edição

O curitibano Willian Lentz atuou como regente da Orquestra Acadêmica - foto Rodrigo Alves

A programação artística do 6º Feimep (Festival Internacional de Música Erudita de Piracicaba) recebeu 2.500 pessoas de 19 a 25 de julho nos concertos gratuitos no Teatro Municipal Erotídes de Campos e na Empem (Escola de Música Maestro Ernst Mahle). No sábado, 25, a Orquestra do Acadêmica do Festival recebeu cinco jovens regentes, além do maestro Jamil Maluf, para o encerramento, em que organizadores, professores e estudantes destacaram o caráter pedagógico do evento.

Diretor artístico e pedagógico do Feimep desde a segunda edição, André Micheletti disse que é importante servir a música e não colocar-se à frente dela para merecer o seu ego. Como exemplo, ele citou a apresentação do húngaro Antal Zalai, na sexta-feira, 24, executando os 24 Caprichos para Violino, de Paganini, com o Teatro do Engenho lotado.

Micheletti disse que a proposta do Feimep é mostrar que fora do ego e da soberba humana há sempre espaço para a humildade, lição que deve ser levada principalmente por quem está no início da trajetória musical. “Da simplicidade nascem as grandes obras da humanidade. A elitização não faz parte do Feimep. Elitismo e erudição são contradições. A doação desses professores e o empenho desses ávidos alunos nos mostra isso”, disse ele.

Segundo a secretária municipal da Ação Cultural, Rosângela Camolese, o Feimep está consolidado no cenário da música erudita. Para ela, desde a concepção o lema é o de um evento democrático, para estimular e dar oportunidade aos concertos e ao aprendizado musical. “É um orgulho ver estes jovens prestigiando o Feimep, alguns pelas primeira vez, outros em várias edições. Piracicaba sempre lhes acolherá de braços abertos.”

​​

REGENTES – O concerto de encerramento do Feimep, composto por jovens instrumentistas que participaram da programação pedagógica, trouxe uma novidade. A primeira parte teve a regência de cinco maestros, alunos do 1º Encontro de Jovens Regentes, ministrado por Jamil Maluf durante a semana: Samuel Krähenbühl, César Martini, Willian Lentz, Natalia de Souza Larangeira e Ivan Bueno. Cada um fez a regência de um dos movimentos da obra Holberg Suite, de Edvard Grieg.

Na lateral do palco, no intervalo entre os movimentos, Maluf apresentou o currículo dos regentes, comentou as curiosidades da composição de Grieg e citou os argumentos para a escolha de cinco regentes para uma única obra. “Os instrumentistas têm uma sorte muito grande de levar para a casa, para estudar, o violino, a flauta ou o contrabaixo, por exemplo. Já um regente não pode fazer o mesmo com uma orquestra. A vida de maestro é muito difícil e cara. É sempre uma estrada longa a ser trilhada.”

Mestrando em composição na Universidade Federal do Paraná, o curitibano Willian Lentz, de 28 anos, percorreu quase 500 quilômetros para participar das masterclasses com Maluf. “Estar longe das suas obrigações permite focar todas as energias para o estudo. A carga de informações, em uma semana, é grande e, quando terminam as aulas, você sente que agregou muita coisa ao currículo.”

​​

DEPOIMENTOS – Estudante de violoncelo há três anos, Bruno David, de 19 anos, frequenta os festivais para suprir a deficiência de professores em sua cidade natal, Maceió, capital do Alagoas. Ele passa a semana assistindo a vídeos na internet para se aprimorar e esteve em eventos similares em Brasília, Fortaleza e Santa Catarina. “No meu estado a gente fica isolado e busquei o Festival para ter uma convivência maior com os naipes. Cinco minutos de aprendizado com os professores já vale todo o investimento.”

Estudante em São João del-Rei, em Minas Gerais, Diego Campos Alves, de 19 anos, procurou o Feimep para as aulas de Fábio Presgrave, de violoncelo, a quem já conhecia. “O Festival ajuda, principalmente, aos alunos que têm dificuldade de orientação no período de recesso. Em alguns momentos, aprendi mais assistindo aos colegas do que tocando”, afirmou, ao elogiar ainda a disponibilidade dos professores.

Estudante de violino, o paulistano Ryu Wada, de 14 anos, aproveitou ao máximo as aulas: no período da tarde assistiu as masterclasses com a canadense Vèronique Mathieu, o húngaro Antal Zalai e o piracicabano Cláudio Micheletti e, de manhã, frequentou os ensaios da orquestra. “O nível dessa orquestra é muito bom. Para quem é iniciante, chega a espantar. Então, tive que me focar bastante nos estudos para dar conta”, disse ele, que estuda no Instituto Fukuda e participou pelo segundo ano do Feimep.

​​

APRESENTAÇÕES – A programação artística foi aberta no Teatro do Engenho com a Orquestra Sinfônica de Piracicaba, no dia 19, sob regência de Jamil Maluf e solo de Jasmin Arakawa ao piano. O trio Marília Vargas (soprano), Juliano Buosi (violino barroco) e Guilherme de Camargo apresentou Divino e Humano, de músicas italianas do século 17.

Houve também apresentação dos professores do Festival, do Hot Jazz Club e do Fukuda Cello, que trouxe a estreia de Quartetto, de Ernst Mahle, alemão radicado em Piracicaba. Na Empem (Escola de Música de Piracicaba Maestro Ernst Mahle), jovens instrumentistas apresentaram parte de resultado dos ensaios, em formações solo, duo, quarteto e quinteto.

Além da programação artística, o Festival recebeu 129 estudantes de 45 cidades brasileiras, dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Bahia, Goiás, Paraíba, Alagoas, Rio de Janeiro e Distrito Federal. Eles participaram de masterclasses em violino, violoncelo, viola, contrabaixo, piano e regência. Atuaram como docentes a canadense Vèronique Mathieu, o húngaro Antal Zalai, a japonesa radicadas nos Estados Unidos, Jasmin Arakawa, o carioca Fábio Presgrave, o paulistano Sérgio de Oliveira, além dos piracicabanos André Micheletti, Jamil Maluf, Alexandre Razera e Cláudio Micheletti.

O sexto Feimep teve como realizadores a Prefeitura do Município de Piracicaba, Secretaria Municipal da Ação Cultural, Jornal de Piracicaba e Revista Arraso, com apoio do Sesi Piracicaba, Senac Piracicaba, Associação Amigos Mahle, Orquestra Sinfônica de Piracicaba, Escola de Música de Piracicaba Maestro Ernst Mahle, Rádio Educativa FM, Secretaria Municipal de Educação, Jornal A Tribuna Piracicabana, Center Flat Service, Maison Vivenda Buffet, Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba), Frias Neto Consultoria de Imóveis, Coplacana, Pousada Central, Pousada do Engenho, Bom Jesus Hostel, Di Pappi Padaria e Confeitaria e Restaurante Tomate Seco.

Deixe um comentário