Fentepira terá dois curadores na décima edição

A comissão organizadora do Fentepira (Festival Nacional de Teatro de Piracicaba) anuncia a curadoria da décima edição, que acontece de 7 a 15 de novembro. Trata-se do ator e diretor Jorge Vermelho e do ator e professor Valdir Rivaben. Eles analisam os 253 espetáculos inscritos, de 75 cidades brasileiras, de 14 estados mais o Distrito Federal. A divulgação dos selecionados para a mostra oficial acontece no dia 12 de outubro.

Esta é a primeira vez que o Festival conta com dois nomes para a curadoria, inserida na programação desde a sexta edição, em 2011. Desempenharam a função Antônio Chapeu, do Andaime Teatro, Roberto Rosa, coordenador do Teatro nos Parques e Encena Parque, e Marici Salomão, dramaturga, jornalista e crítica teatral.

A secretária da Ação Cultural, Rosângela Camolese, diz que esta foi uma sugestão da comissão organizadora, para que a décima edição possa refletir a amplitude do fazer teatral no país. “Nossas expectativas para a décima edição são grandes, pois o Fentepira é referência ao público. Temos um evento de qualidade, que valoriza a diversidade, e é marcado pelo nível técnico das companhias”, explica.

Piracicabano radicado em São Paulo, Valdir Rivaben é articulador de programação das Oficinas Culturais na Poiesis – Organização Social de Cultura. Ator e professor pelo Teatro-Escola Macunaíma e com licenciatura em Teatro na Faculdade Mozarteum, atua profissionalmente desde 1990 e trabalhou com os diretores Alexandre Tenório, Calixto de Inhamuns, Cibele Forjaz, Cintia Alves, Cida Almeida, Dagoberto Feliz, Francesco Zigrino, Gabriela Rabelo, Marco Antonio Rodrigues e Paulo Faria.

Jorge Vermelho é ator e diretor da Companhia Azul Celeste, em São José do Rio Preto, e diretor artístico do Balé Teatro Castro Alves, em Salvador. Com suas montagens participou de 30 festivais de teatro no país, além do Europalia, festival internacional de cultura na Bélgica. Atuou como curador e diretor geral do FIT (Festival Internacional de São José do Rio Preto) e produziu o Festival Internacional Paulo Moura, na mesma cidade.

INSCRITOS – Do total de 253 montagens enviadas para a análise da curadoria, 172 vieram do Estado de São Paulo, sendo 66 da capital e 106 do interior, de 40 cidades, incluindo Piracicaba, com seis inscrições. Em seguida vem Rio de Janeiro (27), Santa Catarina (14), Minas Gerais (9), Paraná (8), Rio Grande do Sul (7) e Bahia (3). Os estados do Ceará, Goiás, Pernambuco, mais o Distrito Federal, contam com duas inscrições cada, e uma de Alagoas, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Paraíba.

Incluído no calendário oficial do município, por meio da lei 6.072/2007, o Fentepira foi criado a partir de quatro pilares: a formação de público, o acesso a espetáculos, o estímulo à criação artística e o fomento da discussão sobre o fazer teatral.

Desde o ano passado, o Festival incorporou a Mostra de Teatro Estudantil de Piracicaba, por meio da lei municipal 7.941/2014. A 22ª edição acontece de 3 a 6 de novembro e recebeu 25 inscritos, sendo 13 de  Piracicaba e um de Sorocaba, Iperó, São Paulo, Sumaré, Valinhos, São Manoel, Boituva, Mogi das Cruzes e Quadra, todos de São Paulo, além de duas inscrições de Uberaba (MG). Após as apresentações, os grupos participam de debates com o ator e diretor João Scarpa e a atriz Vânia Lima, que também enviarão a avaliação por escrito aos diretores das peças.

O Fentepira tem como apoiadores culturais o Sesi, Sesc, Senac, Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba), Colégio Piracicabano, Poiesis – Organização Social de Cultura, Ponto de Cultura Garapa, Apite! (Associação Piracicabana de Teatro), ComCult (Conselho Municipal de Cultura), Associação Cultural e Teatral Guarantã, Jornal de Piracicaba, Revista Arraso, Secretaria Municipal de Educação, Centro de Comunicação Social e Rádio Educativa FM.

Deixe um comentário