Greve dos bancários cresce no quinto dia

No quinto dia de greve em Piracicaba as principais agências dos cinco maiores bancos (Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Itaú e Santander) mantiveram fechadas, inclusive os caixas eletrônicos. A paralisação foi ampliada para o HSBC, Banco Mercantil do Brasil e Safra, e cresceu nas agências do Banco do Brasil da Esalq, Prudente e Estilo; nas agências do Santander da XV de Novembro, Governador, Vila Resende (duas agências), Independência, Cidade Alta e Prefeitura; e no Itaú da Vila Resende (duas agências), além de bancários de diversas agências da cidade.

O ponto marcante da greve, segundo informou o presidente do SINDBAN (Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região), José Antonio Fernandes Paiva, foi o fato inédito dos últimos dez anos de manter as principais agências do Bradesco de Piracicaba e Santa Bárbara D’Oeste paralisadas nesta segunda-feira, 23. A greve ainda se manteve no mesmo nível de adesão em São Pedro, Rio das Pedras, Cerquilho, Tietê, Conchas e Capivari.

“A expectativa do Sindicato é de que aos poucos toda a categoria vá aderindo espontaneamente à greve e uma nova rodada de negociação possa ocorrer ainda esta semana. Já são mais de 8.000 agências paralisadas em todo o país e em Piracicaba a greve cresce a cada dia”, afirmou Paiva.

Deixe um comentário