Marco da Paz em Piracicaba será inagurado em novembro

Após reuniões de alinhamento, a Prefeitura de Piracicaba, por meio da Setur (Secretaria Municipal de Turismo), apresentou oficialmente o Marco da Paz, no dia 21, na sede da Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba) e divulgou a inauguração para novembro deste ano.
Este é um monumento idealizado pelo italiano Gaetano Brancati Luigi, concretizado no Brasil por meio da ACSP (Associação Comercial de São Paulo) e Facesp (Federação das Associações Comercial do Estado de São Paulo), com o apoio das demais associações comerciais do Estado.
A Acipi está conduzindo a instalação do monumento ao lado de outras entidades de classe e grupos específicos.
“Apesar de a Acipi estar muito envolvida com o Marco da Paz, já que ele é ligado diretamente à Associação Comercial e Industrial de São Paulo, este não é projeto apenas da associação ou de outra entidade. É um projeto da cidade e está contando com o apoio de muitas instituições para que possa fazer parte da rota turística do município. Logo a importância do envolvimento igualitário de diversos segmentos da sociedade. Esse é o papel do Marco da Paz: promover a união de elos do município, visando um bem comum: a cultura da paz. O Marco é da cidade, é dos piracicabanos!”, explicou Paulo Roberto Checoli.
O representante da ACSP/Facesp, Amir Massis, responsável pelo Marco da Paz, também esteve presente no encontro: “O Marco da Paz é um projeto único e Piracicaba não poderia ficar de fora. O momento certo para a vinda do monumento chegou e a cidade nos recebeu de portas abertas. É incrível estarmos no século XXI e guerras ainda acontecerem. Isso é inadimissível. O Marco, como um símbolo da paz, faz com que as pessoas lembrem da fraternidade e se voltem para atividades que disseminam a cultura da não-violência.”
NA PRÁTICA – Rose Massarutto, da Secretria de Turismo de Piracicaba, fez os apontamentos técnicos do Marco da Paz em Piracicaba, já que o prefeito Gabriel Ferrato designou o gerenciamento do projeto a esta secretaria.
“Estamos trabalhando, junto às entidades e empresas parceiras, para que o Marco da Paz faça parte da rota turísca da cidade. Para isso escolhemos um local que já conta com uma pré-estrutura, facilidade de acesso e que está bem próximo a diversos pontos turísticos. O Marco da Paz ficará alocado na arena aberta, no Parque da Rua do Porto, que possibilitará a realização de diversas atividades no entorno. A intenção é aproveitar um espaço já existente, que será revitalizado para a visitação aberta. Queremos trazer não apenas os turistas de fora, mas também a população piracicabana, alunos de escolas públicas, grupos de terceira idade etc.”, indicou a secretária.
A inauguração contará com um programa cultural completo, que abrangerá exposições e apresentações de entidades envolvidas, além de um possível culto ecumênico em prol da cultura da paz.
“Vamos arrumar aquela área para receber o Marco da Paz, sobretudo no que diz respeito à acessibilidade para deficientes físicos, idosos e crianças. Para isso e outras questões estruturais, estamos contando com a parceria financeira de entidades e empresas. Toda a estrutura, por exemplo, está sendo doada, bem como o mármore e o sino, que compõe o monumento”, disse Rose Massuruto.
Encerrando a reuião, o prefeito Gabriel Ferrato explicou porque a prefeitura aceitou apoiar o projeto: “De certo modo, o Marco da Paz vem para coroar o meu mandato. São quatro anos sem conflitos na cidade, ao contrário do que se vê no Brasil e no mundo. Além da violência física, estamos andando lado a lado com a violência velada, com a violência verbal – uma das mais graves, na minha opinião.”
“Acredito que precisamos ir além do Marco da Paz como um simples monumento. Vamos aproveitá-lo como um estímulo para seguirmos na busca pela raíz da violência e, assim, continuar investindo em políticas públicas para o enfrentamento dos dramas sociais, que assolam a sociedade. Não adianta realizar um trabalho completo de conscientização com crianças, por exemplo, se elas voltam para casa e se deparam com a falta de comida, bandidagem, tráfico de drogas e toda a violência gerada por esses descompassos. É preciso ir além. A conscientização tem que andar lado a lado com iniciativas práticas contra a violência, em todos os aspectos”, concluiu Ferrato.
É importante salientar que este é um projeto relizado ‘a diversas mãos’, com o aporte técnico e financeiro de entidades de classe, instituições, empresas e da Prefeitura de Piracicaba. Participam  também do projeto: Lions Clube e Loja Maçônica, Fábrica Sinos Piracicaba, Rotary Clube, Coplacana (Cooperativa dos Plantadores de Cana do Estado de São Paulo, CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas de Piracicaba), Diocese de Piracicaba, Ascopi (Associação das Construtoras de Piracicaba), Apaflar (Associação Piracicabana de Alimentação Fora do Lar), Ciespi Piracicaba (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), Simespi (Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas, de Material Elétrico, Eletrônico, Siderúrgicas, Fundições e Similares de Piracicaba e Região), Sincop (Sindicato dos Contabilistas de Piracicaba) e Sincomercio (Sindicato do Comércio Varejista de Piracicaba e Região).
SOBRE O MARCO – O Marco da Paz é um monumento idealizado pelo italiano Gaetano Brancati Luigi, com a intenção de promover a cultura da paz pelo mundo. Ele, ainda criança, presenciou e passou pelas dificuldade da II Guerra Mundial, quando aos 12 anos se mudou para a Argentina e, logo depois, para o Brasil.
Com o apoio da ACSP/Facesp, em 1999, Luigi criou o primeiro monumento em São Paulo, no Páteo do Collegio. Atualmente, o Marco da Paz está presente em três cidades brasileiras: São Paulo, Aparecida e Bertioga, e em outros países, como México, Argentina, Uruguai e China.
Luigi está concorrendo, neste ano, ao prêmio Nobel da Paz.
As entidades que tiverem interesse em participar podem entrar em contato pelo e-mail: [email protected]
Mais informações sobre o histórico do Marco da Paz: marcodapaz.org.br

Deixe um comentário