Pinacoteca Miguel Dutra recebe a exposição No Cubo Branco

Catedral de Lídice SalgotOs artistas Lídice Salgot, Patricia Rebello e Gabriel Petito abrem a temporada de exposições de 2016 na Pinacoteca Municipal Miguel Dutra. A partir da segunda-feira, 25/01, poderá ser vista no espaço a mostra No Cubo Branco, que reúne 26 obras ao todo, em diferentes técnicas. A visitação gratuita ocorre de segunda à sexta, das 8h às 17h, e aos sábados e domingos, das 14h às 18h. A curadoria é de Luciana Camuzzo.

Lídice irá expor 11 obras. Entre elas está Catedral, uma tela que reúne 24 imagens da Catedral de Santo Antônio e de seu relógio, fotografados de hora em hora da janela do seu apartamento, no Centro. O público também poderá ver, entre outras obras, Concertina, com memórias e fotos de família, e Resíduos, uma espécie de caderno criado a partir das “sobras” de uma exposição que a artista fez em Campinas, com fotos do Metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos de São Paulo). “Com as minhas obras faço o reaproveitamento e a releitura de trabalhos que já foram expostos. Também mostro as memórias da família, de viagens que fiz e o caos urbano”, descreve Lídice.

SERES IMPROVÁVEIS – Com colagens, sobreposições de imagens diversas, desenhos ou pintura em aquarela, Patrícia faz uma simbiose de seres, criando espécimes, figuras fictícias e improváveis. “A sensação inicial de admiração é subvertida pelo estranhamento quando o espectador se dá conta dos detalhes e das imagens incoerentes, que formam uma composição ao mesmo tempo sedutora e bizarra”, descreve Patrícia.

De acordo com a artista, os trabalhos transmitem uma aparente desordem, mas
muito bem calculada, que revelam o seu interesse pelo acúmulo, excesso de cores, texturas e padrões. “Proponho-me a criar com imagens desconexas uma composição que seja agradável ao olhar. Além do apelo estético, busco relações entre arte/ciência, realidade/ficção e o provável/improvável”, observa.
DESORDEM – Provocar o espectador por meio da sensação de desordem também é uma das propostas de Petito, que assina três instalações e um vídeo em No Cubo Branco. “As minhas obras tratam do condicionamento humano e de buscar a ordem na desordem. Matadouro, por exemplo, aborda a questão do medo de mudar, de ampliar os horizontes”, exemplifica ele, se referindo a um conjunto de pallets que “bloqueia” a passagem do visitante ao espaço expositório.
No Cubo Branco fica na Pinacoteca até o dia 21/02. Um dia antes, no sábado, 20/02, às 15h, os três recebem o público no local para uma roda de conversa sobre suas carreiras e produções.

SERVIÇO – Exposição No Cubo Branco. Com obras de Lídice Salgot, Patricia Rebello e Gabriel Petito. Na Pinacoteca Municipal Miguel Dutra, rua Moraes Barros, 233, Centro, telefone 3433-4930. Abertura dia 25/01. Visitação gratuita até o dia 21/02, de segunda à sexta, das 8h às 17h, e aos sábados e domingos, das 14h às 18h.

Deixe um comentário