Saúde alerta sobre mensagens falsas em aplicativo

A Secretaria de Saúde de Piracicaba alerta que mensagens que têm circulado no aplicativo para celular WhatsApp sobre o roubo de coletes, crachás e bolsas dos agentes de combate à dengue e sobre a ação de uma suposta quadrilha de cinco homens que se passa por agentes de combate à doença para roubar residências são falsas.

A Pasta foi informada na manhã desta quarta-feira (1º de abril) sobre o caso e esclarece que as mensagens não procedem. A orientação é que a população não compartilhe essas mensagens e evite que a informação falsa circule entre um grande número de pessoas.. “Infelizmente as pessoas não checam a informação e acabam compartilhando algo que não condiz com a verdade. Não sabemos avaliar se é uma brincadeira de mau gosto pelo Dia da Mentira, mas pedimos que as pessoas não façam isso”, alerta Sebastião Amaral Campos, o Tom, coordenador do PMCD (Programa Municipal de Combate à Dengue).

Uma das mensagens cita o roubo de “coletes, crachás e bolsas de agentes endêmicos de controle da dengue”, fala que a suspeita é de que os materiais seriam usados para furtos de residências e pede a distribuição do texto para “o máximo de pessoas possíveis”.

O outro texto descreve “um carro rodando na cidade com 5 homens dizendo que são da dengue e estão roubando as casas”. A mensagem cita ainda que as verdadeiras equipes de combate à dengue “são formadas por duplas sempre a pé com crachás e em sua grande maioria mulheres”. A mensagem destaca ainda que entraram em uma residência e “levaram tudo de valor” e que o caso ocorreu em Piracicaba.
IDENTIFICAÇÃO
O combate à dengue em Piracicaba é terceirizado e de responsabilidade da empresa Helpinsect. As equipes trabalham com veículos identificados e um carro de som passa no bairro onde o trabalho irá ocorrer para avisar a população. Os profissionais de combate à dengue utilizam uniforme composto por camiseta e uma bolsa, além de crachá de identificação.

“O trabalho de combate à dengue consiste basicamente em visitas casa a casa para busca ativa de doentes, remoção de criadouros e eliminação e a colaboração da população é essencial. Se houver dúvidas, pedimos para o cidadão ligar no telefone 3375-0186 para se informar onde a equipe estará atuando no dia”, alerta Tom.

Deixe um comentário