Saúde alerta sobre os perigos da febre maculosa

A Secretaria Municipal de Saúde alerta a população piracicabana sobre a febre maculosa. Muito comum entre os meses de abril e outubro, a doença é transmitida pela picada do carrapato estrela, que nesta época do ano se encontra na forma conhecida como vermelhinho (filhote em formato de larva).

De acordo com a secretaria, pessoas que frequentaram nos últimos 15 dias locais que possam ter carrapatos – como pastos, beiras de rio, terrenos com mato, áreas com capivaras ou qualquer área infestada pelo inseto – devem procurar uma unidade de saúde mais próxima caso apresentem sintomas como febre moderada ou alta, dor de cabeça, dores no corpo e manchar no corpo, principalmente na palma da mão e planta dos pés.

É fundamental que nos casos acima a pessoa informe que frequentou os locais de risco e que foi ou pode ter sido picado pelo carrapato.

Em 2012, a Vigilância Epidemiológica registrou 11 casos da doença no município, sendo que oito evoluíram a óbito. “A febre maculosa é uma doença que tem cura se tratada a tempo, mas tem um índice de mortalidade alto, em torno de 40%, e aqui em Piracicaba esse índice é ainda mais elevado em função do grande número de capivaras, um dos principais hospedeiros do carrapato estrela”, disse o secretário de Saúde, Pedro Antonio de Mello.

A Secretaria inicia neste mês de julho uma campanha em toda a cidade para orientar a população sobre a febre maculosa e pede que a população evite as áreas de risco.

DICAS

Ao retirar o carrapato utilize pinça ou luvas e faça leves torções para soltá-lo;

Nunca esmague os carrapatos com as unhas;

Nunca use fósforo, cigarro ou agulha para retirá-lo;

Como evitar a doença:

Evite frequentar áreas de risco como pastos, beiras de rio, terrenos com mato, áreas com capivaras ou qualquer outra área infestada por carrapatos;

Ao frequentar local de risco, utilizar roupas claras, calças compridas com meias e botas por fora da calça. Vistoriar o corpo a procura por carrapatos a cada três horas. Caso encontrar o animal, retirá-lo sem esmagar;

Mantenha a vegetação do quintal ou terreno sempre baixa;

Faça o controle diário de seu animal de estimação, fazendo a catação manual de carrapatos usando luvas e procurando um médico veterinário em caso de infestação grande;

Caso haja infestação em sua residência, procure um profissional técnico para orientação ou contrate uma empresa especializada no controle de pragas.

 

Deixe um comentário