Sinfônica de Piracicaba tem novos critérios para distribuição de ingressos da temporada

Bilheteria do Teatro do Engenho abre às 14h de sábado - foto Rodrigo AlvesA Orquestra Sinfônica de Piracicaba (OSP) e a Secretaria Municipal da Ação Cultural (Semac) definiram novos critérios para a distribuição dos ingressos gratuitos da temporada 2015. A regra começa a valer em 9 de maio, véspera do Dia das Mães, quando o Teatro Municipal Erotídes de Campos, no Engenho Central, recebe concerto sob regência do maestro convidado Thiago Tavares e participação da mezzo-soprano Luciana Bueno.

A bilheteria do Teatro do Engenho estará aberta às 14h de sábado, dia 9. A partir desse horário será possível optar por ingressos para acompanhar o ensaio geral, às 16h30, agora aberto ao público, ou para a palestra e concerto, às 19h45. A capacidade do teatro é de 422 lugares em cada apresentação, sendo permitidos dois ingressos por pessoa, para apenas um concerto da data.
O diretor artístico e regente titular da Sinfônica, maestro Jamil Maluf, lembra que esta foi a solução encontrada para contemplar o maior número de pessoas. “A procura por ingressos tem sido grande, o que demonstra o interesse da população pela música clássica e a boa aceitação do público para as ações da OSP na programação comemorativa aos seus 115 anos”, avalia o maestro.

REPERTÓRIO – O concerto começa com Cordel no.2: Caldeirão, composição de Liduino Pitombeira, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Esta será a primeira audição brasileira da obra, encomendada pela Camerata Bern, na Suíça, que fez a apresentação em 2006. Na sequência tem a apresentação da suíte de balé El Amor Brujo, de Manuel de Falla (1876-1946).

As duas obras recebem o acompanhamento da meio-soprano Luciana Bueno, uma das mais reconhecidas intérpretes de Carmen (Bizet) e uma das maiores cantoras líricas brasileiras, que chamou a atenção do público ao vencer o tradicional concurso Jovens Solistas, promovido pela Osesp, cantando sob regência do maestro Eleazar de Carvalho.

Para o encerramento, na segunda parte do concerto, foi escolhida a Sinfonia em sol menor, do compositor nordestino Alberto Nepomuceno. A palestra O Meu Concerto de Hoje, com o professor de história da arte Jorge Coli, será proferida às 19h45, antes da execução das obras.

Com 115 anos de história, a OSP é reconhecida por leis municipal e estadual como entidade de utilidade pública. Os recursos para a temporada 2015, prevista até dezembro, são provenientes da Prefeitura do Município de Piracicaba, por meio da Semac.

A primeira apresentação da OSP ocorreu em março de 1900, na Catedral de Santo Antônio, então igreja matriz, sob regência de Lázaro Lozano. Atualmente a direção artística e regência titular está aos cuidados de Jamil Maluf, que atuou por 34 anos no Theatro Municipal de São Paulo, onde foi diretor artístico e fundou a Orquestra Experimental de Repertório.

Deixe um comentário