Dias de paz

descansarTexto publicado originalmente n’A Província em 9/01/2013.

 

“Não haveria luz se não fosse a escuridão…”. Ou melhor: não daríamos tanto valor ao descanso se tivéssemos tempo de sobra para fazer isso no nosso dia a dia.

Digo isso porque estou de férias, por poucos dias, neste início de ano. E tenho tentado tornar estes dias os mais tranquilos possíveis.

Depois de curtir dias maravilhosos na praia, é bom voltar e ter mais uns dias de ‘paz’. É maravilhoso acordar um pouco (ou muito mais) tarde do que de costume. Não ter pressa para tomar o café da manhã. Ir para a academia o horário que bem entender. Ver televisão, passear, aproveitar o calor e pegar uma piscina ou, simplesmente, dormir mais. Sem pressa, sem compromisso.

E por isso reparo e digo: o melhor da vida está realmente nas coisas mais simples da vida. Em ter, de vez em quando, tempo para fazer as coisas que mais gostamos. Viajar, principalmente para poder olhar o mar, não ter hora para dormir nem acordar. Ter calma, ficar em casa, estar entre amigos, e, mais uma vez, descansar!

Dizem que ficar muito tempo em casa, sem trabalhar, enjoa. Concordo plenamente. Mas, no meu caso, precisaria de, no mínimo, mais um mês parada para isso acontecer! Não tenho dúvidas de que com mais 30 dias de folga, eu ficaria muito feliz!

Mas, claro, não posso deixar de agradecer por ter para ‘onde voltar’! Sei que estas férias não seriam tão boas se não tivessem tempo determinado para acabar. Aliás, neste caso não seriam férias, nem seriam tão esperadas…

Deixe um comentário