Viaje comigo: Istambul – Turquia

Ela já foi chamada de Nova Roma, Bizâncio, Rainha das cidades e Constantinopla. Já foi capital de dois grandes impérios e é considerado um dos pontos mais estratégico do mundo. Estamos falando de Istambul, a maior cidade da atual Turquia, fundada a mais de 2.500 anos. Istambul é uma cidade dividida. Não pela política ou pela religião, mas pela geografia. É cortada ao meio pelo estreito de Bósforo, um dos mais importantes e movimentados do mundo. Metade da cidade fica na Europa e a outra metade na Ásia.

Assista ao vídeo:

Istambul é fantástica, uma mistura de passado e futuro, oriente e ocidente. Altos e modernos edifícios se misturam com palácios, muralhas milenares e mesquitas, muitas mesquitas. Só em Istambul são mais de duas mil. Mas apesar de tanta fé, o país sabe separar bem a religião da política. A maioria da população é muçulmana, mas convive muito bem com as minorias cristãs e judias. Um bom exemplo disto a Hagia Sophia. Ela nasceu como uma catedral cristã, depois foi convertida em mesquita e agora é um grande museu onde ícones islâmicos convivem lado a lado com santos cristãos. Um grande painel com o nome do profeta Maomé fica pendurado justo ao lado de um mosaico da virgem Maria. Uma convivência exemplar. Hagia Sophia é ampla, linda, impactante e cheia de história, certamente uma das construções mais belas do mundo com mais de 1.500 anos de história. Outro lugar que me impressionou muito foi o Palácio Topkapi (Palácio da Porta do canhão). Esta foi a residência oficial dos sultões Otomanos entre os anos de 1465-1856. Como muitas construções Otomanas, o palácio é gigantesco. Dentro dele moravam quatro mil pessoas que serviam diretamente ao sultão. Suas muralhas têm mais de cinco quilômetros de extensão. Nas salas ricamente decoradas estão exibidas carruagens, armaduras, roupas, utensílios e jóias. Nas salas de tesouros encontramos artigos e armas usadas pelos sultões, quase tudo em ouro cravejado com milhares de pedras preciosas. Em um palácio especial estão exibidas as relíquias sagradas para o islamismo com o cajado de Moisés, uma panela de Abraão, o crânio de João Batista, a espada de David, além das vestes e fios da barba do profeta Maomé. É um lugar considerado tão sagrado que, durante 24 horas por dia, sempre tem alguém recitando trechos do Alcorão, o livro sagrado do Islã.

Em um lugar onde a religião é tão presente, nossa terceira visita só poderia ser em uma mesquita, por sinal uma das mais belas e grandiosas da cidade. Na Mesquita Azul você tem oportunidade de acompanhar as orações diárias e visitar partes de suas dependências. A mesquita é ampla, clara e possui lindos mosaicos e vitrais de cor azul (daí o nome). Sua grande abóboda só é superada em tamanho e altura pela de Hagia Sophia. O piso é coberto por um carpete vermelho ricamente decorado com motivos de tulipas. Esta por sinal é a flor símbolo da Turquia, presente em todas as praças da cidade. Dizem que as primeiras tulipas que chegaram a Holanda vieram daqui e foram presente do sultão Mehmed II, o conquistador, no século XV. Outro patrimônio turco são os gatos. Como as tulipas, eles estão em toda parte, inclusive nos museus.

Ao lado da Mesquita Azul, encontramos o que restou do antigo hipódromo romano. O local é um uma grande praça e os únicos vestígios da sua ocupação original são o traçado oval das ruas e dois obelisco egípcios (de 2.500 anos de idade) trazidos pelos romanos para embelezar o centro da arena.

Passear a pé por Istambul é uma maneira de viajar pela história e conhecer um pouco do próprio país. Como a ponte sobre o Bósforo, Istambul consegue unir com maestria o nosso mundo ocidental com o oriente. Costumes, música e religião estão presentes nos grandes monumentos e no dia a dia das pessoas. A cidade está coberta de história de alto a baixo, literalmente. Explico! Sob a cidade, foram construídas mais de 70 cisternas, as mais antigas datadas de 1.500 anos atrás. Estas imensas piscinas subterrâneas tinham o propósito de abastecer a cidade e garantir a sua resistência ao diversos cercos que sofreu (foram 21). Seus salões são imensos, alguns com mais de 10 metros de altura e quase duzentos metros de comprimento. As colunas que os sustentam possuem diferentes estilos. Acredita-se que foram retiradas de templos e palácios mais antigos.

Depois de conhecer os subterrâneos, nossa visita continuou pelas ruas de Istambul onde conhecemos dois importantes mercados. O bazar de Istambul impressiona pelo seu tamanho e pela variedade de artigos que oferece. Nas suas ruas cobertas se comercializa praticamente de tudo, desde antiguidades até camisas de futebol, passando por jóias, artigos em prata, bronze e couro. O outro mercado que marcou nossa visita foi o Bazar Egípcio, ou Bazar das Especiarias. Os vendedores são muito simpáticos e oferecem degustação de tudo o que vendem, inclusive caviar. Além das especiarias e condimentos vindos de todas as partes da Ásia, encontram-se no Bazar, doces Turcos, perfumes, artesanato e frutas secas. Nas ruas ao redor, vendem-se vários tipos de queijos (um mais saboroso que o outro), frutas, peixes e frutas. Uma festa para os sentidos da visão, olfato e paladar.

Um dos passeios imperdíveis na cidade é o cruzeiro de uma hora pelo estreito de Bósforo que divide a cidade entre a Europa e Ásia. O passeio nos leva para o norte de Istambul onde estão os bairros mais nobres, grande mansões, mesquitas e castelos. O centro comercial da cidade está na praça de Taksim, bem no alto da cidade nova. Dali parte a rua mais famosa e mais movimentada de Istambul, a Istiklal. Esta avenida de três quilômetros, dedicada somente aos pedestres, esta repleta de lojas e restaurantes que funcionam quase que 24 horas por dia. Nela circulam diariamente cerca de três milhões de pessoa. Em um dos extremos da avenida está a Torre Gálata, um dos pontos mais altos da cidade. Erguida há muitos séculos, este gigante de pedra tinha a função de vigiar a cidade contra incêndios e ameaças de invasões. No seu topo hoje há um restaurante e um mirante de onde se pode avistar os principais pontos da cidade.

Há muito mais o que ver na cidade de Istambul entre mercados, museus, mesquitas e apresentações culturais. Apesar de ser antiga, a cidade sabe muito bem viver o presente. Em sua viagem a Turquia, separe tempo para conhecê-la, pois ela é a melhor porta de entrada para o oriente. Güle güle! (tchau em Turco)

Peter é membro da Família Goldschmidt e diretor-consultor de turismo da agência Gold Trip. www.goldtrip.com.br / www.familiagold.com.br

Deixe um comentário