Além da notícia III

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

noticia_g_logo_01Piracicaba ganhou 15,3 mil moradores em um ano. O aumento da população cresceu de 0,7%; para 4,15% este ano. Mas não se preocupe, povo piracicabano que tudo foi previsto pelo ‘melhor prefeito da história da cidade’ com seus vereadores, deputados e empresários. Vai ter casa pra todo mundo, água da boa, emprego, escola, creche, médicos, ônibus e muito lazer. Prevendo a explosão de violência que acompanha esse tipo de desenvolvimento, trouxeram o Águia, uma penitenciária para PÓS-CDP, e pra molecada pobre que aprontar, a Fundação CASA. Para os doentes está saindo um hospital. São 126 vagas para os 386 mil habitantes, mais os milhares do Aglomerado. Se houver alguma crise, como é comum no capitalismo, a Assistência Social do município bancará os desempregados. E ainda vai sobrar dinheiro pra ajudar na construção da barragem para bacanas passearem de Jet-Sky.

-ooo0ooo-

O Jornal da PAM – comentando pesquisa sobre melhoria na Saúde Pública – destacou o desejo do povo de ser mais ouvido pelo médico durante consulta. Sentir-se acolhido cura mais que especialistas de renome e equipamentos sofisticados.  Nosso povo é doente porque é carente. É carente porque está abandonado. Da tristeza que corrói a alma às grandes guerras, na falta de amor e diálogo está a origem dos males. As escolas de medicina se especializam sempre mais em órgãos humanos e entendem cada vez menos de gente. Cidadão entra no consultório o médico não tira a cara do computador e ainda quer saber mais de sua dor que o próprio. Médicos apressados e que pouco ouvem adoecem mais ainda seu paciente. Quando gestores do sistema público se gabam do elevado número de atendimentos que fizeram saibamos que em vez de saúde estão promovendo doença.

-ooo0ooo-

Sei que todos, estando em perfeito juízo, de certo modo somos responsáveis – se não por atos, por omissões – pela violência que grassa Piracicaba. Porém, ninguém mais que o poder público. Fui colega de Maria Antonia, morta na porta de casa por adolescentes. Em 2005 numa das únicas reuniões com o então prefeito – onde falou muito e ouviu pouco – sugerimos criação de uma secretaria exclusiva para assuntos da criança e do adolescente. Ele achou um exagero. Se tivesse ouvido, a situação poderia estar menos grave. Mas preferiu dar orelha à políticos e empresários, e a população apoiou; até as igrejas. Colhamos agora os frutos do que semeamos ou deixamos que semeassem.

-ooo0ooo-

Um fiasco a inauguração da rotatória do Pisca dia 31 passado. Nem com o vereador local – dez mil por mês! – entregando folhetos e o trato dado no entorno o povo veio. Só deu políticos falando para si mesmos. Cidades lúcidas estão inaugurando veículos sobre trilhos, faixas exclusivas para ônibus, bicicletários; aqui rotatórias para ‘desafogar o trânsito’, que logo estará afogado de novo. Coisas de Sucupira. Réquiem para as dezenas de árvores que tombaram em nome de um ‘progresso’ que anda pra trás.

-ooo0ooo-

Vi reportagem na TV denunciando espancamento de adolescentes internados numa das unidades da Fundação CASA. Lembro-me da chamada lei das palmadas, que proíbe os pais até de relar nos filhos. Trabalhar, então, nem pensar. Mas o Estado pode espancar, torturar, dar sumiço e até matar. O que o difere, então dos criminosos que prende? Como esses jovens sairão de lá? Já que o Estado não tem competência para cuidar e recuperar que deixe de se intrometer tanto na família e cuide das políticas preventivas, sua principal obrigação.

 

totodanelon@ig.com.br

Deixe uma resposta