Bunda-mole

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

downloadSegundo jargão, é a pessoa que, por medo de se envolver, se faz cega e surda aos fatos. Mesmo contrariada, engole coisas erradas para não criar caso. Procura viver bem com todo mundo e se mostra conivente com o mais forte para ganhar proteção ou pelo menos não despertar cisma. Por não ter postura própria está sempre por cima; engole sapos para não perder o que conquistou ou deixar sua zona de conforto. Sua baixa autoestima mina sua autoconfiança, tanto que não dispensa bajulação.

Se você está pensando em alguém relaxado e maldoso pode estar enganado porque geralmente é inofensivo, religioso e bem comportado. Para não comprometer a relação talvez só aponte qualidades, nunca defeitos. Enquadra-se aos padrões porque se sente protegido na massa. Não tem noção de contexto. Vê a árvore não a floresta. Pode estar no bombadinho que está nem aí com as pessoas a sua volta. Por se achar fraco, frequenta academia diariamente a cata de músculos. Tem muito físico e pouca mente; é mais instinto que espírito; mais hormônio que neurônio. Pode ser aquela jovem com fone no ouvido. Evita o som do mundo e das pessoas porque não quer encheção de saco; pensa sobreviver sem relações. Acabará sozinha e surda. O mesmo se passa com o tonto que liga o som no último para todos saberem que nem a si mesmo respeita.

Pode estar dentro do carrão com vidro escuro, desses que ocupam duas vagas e atravancam o trânsito. O cara nem se atina que sua sensação de sucesso, segurança e independência pode virar fumaça num acidente em que precise ser socorrido. Ou se precisar de banheiro nem lugar estranho. Pode, também, estar na mansão, na casa chique ou modesta atrás de altos muros e cercas elétricas a fim de espantar olho gordo e despistar amigos do alheio; ou nos condomínios fechados para onde vai grande parte dos que temem a violência.

Não percebe que insegurança é consequência da falta de atitudes proativas, pois quanto mais isolamento mais desconfiança; quanto mais desconfiança mais insegurança; mais insegurança mais medo e quanto mais medo mais instrumento de defesa. Ser proativo é praticar o que Jesus mandou quando disse: “Tudo aquilo, portanto, que quereis que os homens vos façam, fazei-o vós a eles, porque isto é a Lei e os Profetas”.  (Mt 7,1). Essa é a chave da convivência pacífica, porém requer maturidade, ousadia, sabedoria, generosidade e desapego. É mais fácil se fechar de muros, acreditar que dinheiro pode tudo e que o Estado garante a segurança de todos.

Sua família está acima de tudo, mesmo em cacos. Canta de galo em casa, porém não é levado a sério porque faz barulho, se faz de vitima, mas não toma atitudes; ajeita as coisas. Se aparecer na escola onde os filhos estudam, provavelmente será para tirar satisfações sobre queixas por eles levadas. Bebe informações de fontes contaminadas e se acha bem informado. Não recicla e nem raciona recursos; não planta árvores, não se interessa pelos problemas de sua rua nem pela sorte dos vizinhos.

Em política é uma alienado. Prefeito bom para ele é aquele que faz viadutos, pontes, avenidas e deixa a cidade nas mãos dos especuladores do mercado imobiliário. Não sabe para que serve um vereador e não entende que o prefeito é mais importante que o presidente da República por ser ele o responsável direto pela saúde, saneamento, transporte, habitação, lazer, educação dos munícipes, e que recursos da União e do Estado dependem de projetos bem elaborados, da participação popular e do lobby de deputados que querem o bem da cidade e não os próprios.

O bunda-mole se fantasia no carnaval, faz sacrifício na quaresma, compra ovo na Páscoa, entope as estradas nos feriados, assiste Faustão aos domingos, dá almoço para moradores de rua no Natal e enche a cara no Ano Novo pra começar tudo de novo sem nada mudar.

5 comentários

  1. Jairo Teixeira Mendes Abrahao em 27/11/2014 às 11:40

    Danelon. Nao eh a primeira vez que elogio um texto seu. Este, porem, me fez admira-lo muito mais. Parabens!
    Jairo Teixeira Mendes Abrahao.
    P.S. Desculpe-me pela faltade acentos, aqui os teclados sao horriveis.

    • Antonio Carlos em 27/11/2014 às 18:18

      Se com teclado ruim ganhei um elogio desse tamanho imagine se estivesse bom. Agradeço, Jairo por ler mais ainda por gostar.

  2. Mirtes Colombera em 29/11/2014 às 17:34

    Antonio Carlos, sou a mulher do Jairo T.M.Abrahão, Não posso deixar de elogia-lo tambem por esse excelente texto! Já sou sua grande admiradora! Parabens e um forte abraço.

    • Antonio Carlos em 02/12/2014 às 23:14

      Que bom ouvir isso, Mirtes. Torço por merecer. Gosto de gente ousada. Abraços.

  3. Peter em 05/02/2015 às 22:45

    Fantástico, Danelon, fantástico.
    Parabéns.

Deixe um comentário