Catracada caipira

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

7Pasmem!.. na falta do que fazer, o melhor é inventar. Em mais alguns dias, o cidadão que desejar adentrar ao plenário da Câmara de Vereadores desta linda cidade, deverá passar por uma catraca eletrônica. Não fossem as medidas restritivas impostas pela presidência da casa, talvez, até pudéssemos entender a validade da propositura. Daí, e nesse contexto geral de revolta dos cidadãos nativos, em burburinhos de desejos o que se comenta é o seguinte: – Será que se colocar um mata burro na entrada dos gabinetes alguém passa? E pra quem pensa que pode parar por aí, vou logo desanimando, pois a relação de restrições de acesso ao plenário poderão ainda contemplar vetos de entrada com garrafinhas d’água, ray-ban, mascando chicletes, com cabelos ‘des’ e coloridos e quem sabe, até de algum tipo de disfunção visual. Um ‘vesgo’, por exemplo, poderia ser enquadrado em caso de grave ameaça, por conta da postura gestual da cabeça direcionada ao plenário. Como se pode notar, imaginação e fantasmas são coisas férteis nessa casa (letra minúscula mesmo). Coisas pequenas de uma ‘grande cidade’!

Deixe uma resposta