FALA SÉRIO!

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

ADILSON MALUF EM ROMA

Adilson Maluf sempre foi considerado um dos melhores prefeitos de Piracicaba. Nesta última semana, em viagem a Roma, teve um encontro com o senador Fausto Longo. Entre visitas ao Palazzo Madama, onde funciona o senado da república, à embaixada brasileira na capital italiana  e reuniões de negócios, como o ocorrido com o advogado Christian Zovico, da mesma família Veneta de Vicenza, do empresário Orlando Zovico, de Limeira, discutiram-se diversas ideias. Uma delas é a promoção de mecanismos que facilitem a vida de ítalo-brasileiros que pretendem fixar-se na Itália por um tempo, seja para estudar, realizar especializações, buscar uma oportunidade profissional ou simplesmente pesquisar suas origens para obter a cidadania italiana.

ADILSON MALUF EM ROMA II

Sempre antenado com as questões políticas, Adilson Maluf propôs iniciativas que podem contribuir para estreitar as relações entre os dois países e facilitar a vida de italianos que residem no Brasil e de brasileiros que moram na Itália.

ADILSON MALUF EM ROMA III

Também elogiou o embaixador do Brasil na Itália pelo reconhecimento e valorização do Salão Internacional de Humor, criado durante sua gestão à frente do executivo municipal de Piracicaba. E propôs a realização da primeira mostra do acervo do Salão na Itália, nas dependências do Palazzo Panphili, na Piazza Navona, um dos mais belos edifícios de Roma.

SABOTAGEM

Todo mundo quer um país melhor, com mais justiça social e sem corrupção. Esse é o sonho de todos, mas querem sem a Dilma e o PT. Então esse climinha de sabotagem paraguaia vai ficar até a presidente terminar o mandato, em 2018? E o compromisso e a responsabilidade para com o país, ficam como? Enquanto Aécio Neves, o PSDB e os partidos que fazem oposição não apresentarem um projeto novo fica evidente que o que se quer é aplicar o golpe. A única proposta do PSDB até o momento foi a criação de um governo paralelo, não a construção de um projeto para tirar o país da crise. O pedido de impeachment é político. Quem quer um país novo não vota pela terceirização do trabalho. Quem quer um país melhor apresenta propostas para que todos se desenvolvam, não para ampliar a desigualdade.

POR OSMOSE

Uma população que vive em uma cidade abandonada tem de limpar primeiro o seu quintal para depois protestar nas ruas. Devemos, sim, gritar contra o abandono, a falta de segurança, o péssimo ensino público oferecido para os nossos filhos e o desgoverno, mas, principalmente, devemos dizer não aos vereadores apáticos e sem compromisso com a população.

ZOOLÓGICO

Não entendo como a prefeitura deixa serviços públicos e locais de lazer sem manutenção. O desleixo parece ser uma norma da atual administração.  O abandono do Zoológico é um desrespeito aos animais e às crianças que poderiam aprender como se deve tratar e cuidar dos seres que lá vivem. Mas, do jeito que a coisa está, elas estão aconselhando os bichos a fazer como o quarteto do filme Madagascar: partir para uma aventura rumo ao desconhecido. #partiubicharada.

QUE GREVE? 

É engraçado como as lideranças do PSDB em Piracicaba, leia-se Barjas Negri, Mendes Thame e Gabriel Ferrato, se fingem de mortos quando o assunto é a greve dos professores. O PSDB acabou com o ensino das escolas públicas, por isso os professores estão em greve. É inconcebível que uma criança saia da escola sem saber ler, escrever ou interpretar um texto, mas, infelizmente, é possível compreender porque isso acontece. Como aprender em uma sala de aula abarrotada, em escolas onde faltam professores, mas sobra violência e descaso com o futuro cidadão?

POIS É

Alunos e pais apoiarem esta greve é mais do que certo. Faz mais de 20 anos que o PSDB administra o estado e a educação se esvai pelo ralo da corrupção e da ineficiência.  Enquanto Alckmin paga R$ 70 mil reais mensais para um blogueiro atacar o PT, um professor recebe R$ 2 mil mensais. Fala Sério! Geraldo.

MURALHA DIGITAL

Limeira conseguiu reduzir em mais de 60% o índice de criminalidade na cidade implantando um sistema de monitoramento chamado Muralha Digital. Por que Piracicaba, que sofre com tanta falta de segurança, não copia e implanta o sistema que também já deu certo em Indaiatuba? É difícil copiar o que é bom?

QUEM TEME TEMER

Michel Temer foi colocado como articulador politico do governo com o Congresso Nacional. Os partidos de aposição estão dizendo ser uma TEMERidade colocá-lo nesta posição. #tatudodominado

Fala Sério! é publicada toda quarta-feira no jornal Tribuna Piracicaba e

no site da Tribuna e de A Província. Também pode ser acessada pelo Facebook: Falasério djalma lima

2 comentários

  1. Antonio Carlos em 22/04/2015 às 11:53

    Um fenômeno novo na realidade brasileira é o ódio político, o espírito golpista dos ricos contra os pobres. O pacto nacional popular articulado pelo PT desmoronou no governo Dilma e a burguesia voltou a se unificar. Economistas liberais recomeçaram a pregar abertura comercial absoluta e a dizer que os empresários brasileiros são incompetentes e superprotegidos, quando a verdade é que têm uma desvantagem competitiva enorme. O país precisa de um novo pacto, reunindo empresários, trabalhadores e setores da baixa classe média, contra os rentistas, o setor financeiro e interesses estrangeiros. Surgiu um fenômeno nunca visto antes no Brasil, um ódio coletivo da classe alta, dos ricos, a um partido e a um presidente. Não é preocupação ou medo. É ódio. Decorre do fato de se ter, pela primeira vez, um governo de centro-esquerda que se conservou de esquerda, que fez compromissos, mas não se entregou. Continuou defendendo os pobres contra os ricos. O governo revelou uma preferência forte e clara pelos trabalhadores e pelos pobres. Não deu à classe rica, aos rentistas. Nos dois últimos anos da Dilma, a luta de classes voltou com força. Não por parte dos trabalhadores, mas por parte da burguesia insatisfeita. Dilma chamou o Joaquim Levy por uma questão de sobrevivência. Ela tinha perdido o apoio na sociedade, formada por quem tem o poder. A divisão que ocorreu nos dois últimos anos foi violenta. Quando os liberais e os ricos perderam a eleição não aceitaram isso e, antidemocraticamente, continuaram de armas em punho. E de repente, voltávamos ao udenismo e ao golpismo. Bresser Pereira. Folha 01.03.15

  2. Valdir em 28/04/2015 às 17:00

    # Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las.
    Voltaire

Deixe um comentário