Fala sério!

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

TERCERIZAÇÃO

Será que ao votar a favor da terceirização o deputado federal suplente Mendes Thame pensou que os 24 milhões de trabalhadores que deverão atuar nesse regime, e que representam a metade do total de 50 milhões de pessoas com carteira assinada no país, perderão salário e benefícios conquistados a duras penas? O terceirizado terá plano de saúde com qualidade mínima, vale transporte, auxílio creche, plano de previdência privada, plano de carreira e garantia de não demissão em caso de doença?

TERCERIZAÇÃO IRRESTRITA

Será que o deputado federal suplente Mendes Thame sabe que a aprovação do projeto 4.330 aumentará o índice de desemprego, pois os funcionários terceirizados terão de aumentar sua carga de trabalho para receber o mesmo que um trabalhador em regime CLT, o que reduzira o número de vagas? Não, não deve saber, pois nunca foi e jamais será terceirizado, o que é uma pena. Mas fica a dica: porque o povo não sugere a terceirização do legislativo e do executivo? Aliás, coisa que já vem ocorrendo em nível federal.

FRASE DA SEMANA

Do economista Luiz Carlos Bresser Pereira – “A aprovação da Lei da Tercerização pela Câmara dos Deputados, sem qualquer dos acordos que amenizam sua violência contra os trabalhadores brasileiros, mostra a grande guinada para a direita que está acontecendo no Brasil”.

LERÊ, LERÊ …

E Bresser completa: “Agora, ao que parece, a direita tem um projeto para o Brasil: sua MEXICANIZAÇÃO. Redução dos direitos trabalhistas e dos salários reais até que eles fiquem competitivos com a China, como aconteceu com o México. Mas será que o povo brasileiro aceitará essa loucura da direita, cujas repercussões sociais e políticas são imprevisíveis”?  

A EDUCAÇÃO E SUA FALTA

Ninguém é a favor do que algumas pessoas fizeram na Secretaria da Educação, provocando prejuízos e cenas lastimáveis de destruição. Mas, aproveito as palavras do governador e do Secretario da Educação do Estado para lembrar que “o terrorismo e a baderna” não são episódios localizados. Infelizmente, estão sendo praticados há anos pelos governantes do PSDB, e não só contra os professores, mas contra os milhões de alunos que estudam em escolas públicas no estado. Será que o abandono de uma política de valorização dos professores, salas de aulas superlotadas, escolas caindo aos pedaços também não são sinônimo de vandalismo?

A FALTA DA EDUCAÇÃO

Aliás, esta greve deveria ter o apoio dos alunos e de seus pais. Oferecer este nível de ensino é vergonhoso, ainda mais para quem faz parte do sistema e não tem instrumentos de mudança. O governo tenta maquiar a situação, mas o ensino não melhora. É isso que os professores gritam. Eles não lutam somente por eles, lutam também pelas crianças e jovens, que sem uma educação adequada terão menos oportunidade de uma vida mais digna.

O QUE FAZER?   

Temos uma Câmara Municipal omissa, que não discute e aprofunda as discussões, apenas vota por interesses pessoais ou sob pressão. Os 19 vereadores que votaram pela aprovação das contas de Barjas Negri de 2011, contrariando a decisão do Tribunal de Contas do Estado, que apontou falhas na atribuição do orçamento, fizeram um grande desserviço. Só dois vereadores votaram pela rejeição: Fernandes Paiva (PT) e Paulo Camolesi (PV).

CARMA DA REJEIÇÃO

Barjas não teve um ano de administração com contas aprovadas pelo TCE-SP. De 2008 a 2011 as prestações sempre forma contestadas. Em 2011, por exemplo, gastos apontados como sendo das áreas de segurança e saúde foram contestados e até a reforma de um Observatório foi apontada como gasto em educação para atingir o percentual de investimentos exigidos pela lei. Esta é uma forma que os administradores encontram para burlar a legislação. Isso explica como o PSDB trata o sistema educacional no estado de São Paulo e nos municípios administrados por eles.

MAIS IRREGULARIDADES

Em 2009 o TCE-SP encontrou mais irregularidades na aplicação de recursos do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica e da Valorização dos Profissionais da Educação nas contas do ex-prefeito. Barjas passou por vários cargos na administração Federal e Estadual e sempre deixou um rastro com dúvidas sobre sua atuação como administrador inclusive envolvendo parentes bem próximos.

COM UM LEGISLATIVO ATRELADO

Com vereadores comprometidos e atrelados ao governo municipal não se pode esperar muito com relação ao trabalho da casa que deveria ser:  propor leis e fiscalizar. O que esperar de um legislativo que só faz, moções, requerimentos, homenagens e outras amenidades. Fala Sério! Não se pode considerar uma casa séria. Com raras exceções é claro.

 

Fala Sério! é publicada toda quarta-feira no jornal Tribuna Piracicaba e

no site da Tribuna e de A Província. Também pode ser acessada pelo Facebook: Falasério djalma lima

1 comentário

  1. Antonio Carlos em 29/04/2015 às 15:41

    Quanto prefeito de Piracicaba, Thame manteve o pé no pescoço do funcionalismo público municipal e o tratou a pão e água. Também desmontou as organizações populares da cidade. Pelo jeito continua o mesmo.
    Quanto às escolas, o PSDB transformou-as em gaiolas. Querem uma juventude enquadrada e sem senso critico; feita para mover a indústria. Espero que os jovens desmontem esse cabide de empregos e essa fábrica de androides chamada escola para construir uma outra, aberta, juvenil, alegre, participativa e inteligente.
    Quanto às contas do Barjas, ele não estava na passeata pedindo transparência ao governo federal?

Deixe um comentário