Graça feminina

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

   unnamedImagino que cada um tenha um gosto em particular e sinta necessidade de andar com determinados objetos. De minha parte, confesso que dentro da minha bolsa cabe um mundo de coisas que julgo imprescindíveis. Espelhinho, pinça de sobrancelha, lenço, batom, lixa de unha, escova de cabelo, caneta e cartões bem guardados. Também lá estão num compartimento especial as cartelas de comprimidos para dor. Não faltam os remédios de praxe, o filtro para as mãos e elásticos para o rabo-de-cavalo nas aulas de Pilates.

É preciso guardar na bolsa as chaves do carro, da casa, chaves das casas das filhas, e de uma irmã querida que fez questão de dar uma cópia para mim. Uma bênção dos céus! O trabalho maior é retirar tudo isso para passar na porta rotatória do banco.

Ninguém anda sem documentos. Ali estão, dentro da carteira de couro, juntamente com a medalha exorcizada de São Bento, presente de um amigo santo. Não pode faltar o terço, para rezar nas salas de espera da vida.

As bolsas de hoje vêm com compartimentos externos para o celular. Ótimo! Magia do fabricante. Bolsa faz parte do vestuário feminino e é raro encontrar uma dama que não porte esta peça indispensável. Há verdadeiras “maletas” com repartições internas e zíperes externos. Armadilhas perigosas, pois existe o risco de conseguirmos “perder” um objeto ou um documento dentro da própria bolsa…

Bolsa de mulher será sempre um capítulo à parte, em qualquer tentativa de descrever o que representa esta sacola de couro, cuja ancestralidade se repete nos braços e ombros ao longo da história. Mas há outras coisas que pertencem à eterna e louvada graça feminina.

Ouve-se dizer: homem fica pronto num minuto. Claro. O varão toma um banho, veste uma calça, uma camisa, cinto combinando com o sapato e fica lindo. A mulher não consegue sair do banho e se vestir, sem antes secar o cabelo e fazer uma escova caprichada. Aí, vem a maquiagem, que também exige cuidados, de acordo com a hora, o ambiente e a  ocasião.

Maquiagem feita, é preciso pensar na roupa. Vestido, saia ou calça? E tem ainda a opção da bermuda. Blusa, camisa, mangas longas ou curtas? E as unhas? Há mulheres que não se sentem arrumadas se não estiverem de unhas feitas. Para o varão, basta cortá-las rente e pronto.

Mulher que se preza gosta de se enfeitar. Como diria Clarice, “ornada como as mulheres bíblicas”. Entram em cena os brincos, pulseiras, anéis, gargantilhas, colares, cintos, cachecóis, lenços, relógios.

Sapato e bolsa. Aí vem ela, a bolsa. Tem de caber metade do universo, se for para ir trabalhar. Será pequena e leve para sair à noite. No dia-a-dia, uma bolsa prática e sensível, que atenda aos apelos da sua dona.

Tudo combinado, escolher entre perfume ou colônia. Depende do horário e do local para onde se vai. Óculos escuros, se a saída é diurna e o sol brilha lá fora. A mulher quer competir com ele.

Por isso, os homens reclamam que as mulheres demoram muito para se arrumar. Ela cumpre um sério e gracioso roteiro que põe à prova seu bom gosto, elegância e bom senso.

Deixe um comentário