Hora de liquidar o estoque da Copa

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

Após investir em produtos ligados à Copa para atrair o consumidor e aumentar o faturamento, o varejo se vê diante de um novo desafio conforme o final do torneio se aproxima: como vender todos os itens temáticos? É certo que, quando o Mundial terminar, será muito difícil dar saída a artigos ligados ao campeonato. Além do mais, a essa altura, já é possível saber o que terá procura e o que deve encalhar. Mercadoria parada é prejuízo, por isso o momento pede a adoção de estratégias agressivas para evitar perdas.

Em datas comemorativas e de grandes eventos há quem opte por armazenar o que ficou no estoque para tentar vender em outra ocasião. Mas é o mesmo que deixar guardado um dinheiro que poderia estar no caixa e ser usado para pagar fornecedores à vista e conseguir descontos ou ser direcionado para propaganda e movimentar a loja, por exemplo. E quem garante que haverá demanda no futuro pelo que está na prateleira hoje?

Se você é varejista, não hesite em oferecer abatimentos generosos nos preços. A ideia é ganhar na quantidade. É melhor vender alguns itens abaixo do custo do que ficar com encalhe.

Além de reduzir os preços, crie promoções que levem o cliente a comprar mais de uma peça. Monte os chamados combos, aqueles pacotes em que são oferecidos produtos de forma combinada por valores menores. Junte artigos em promoção com outros sem desconto. Os combos são interessantes também para dar vazão à mercadoria ligada a seleções que já se despediram do Mundial. Assim, reúna itens de países que ainda estão na Copa com os dos que pegaram o avião de volta para casa.

Você pode dar ainda abatimentos progressivos, isto é, uma peça sai por 10% menos, duas, 20%, três, 30%. Faça embalagens com várias unidades do mesmo produto por um preço mais em conta para que a compra do item se torne vantajosa para o consumidor. É a promoção do tipo leve 3 e pague 2.

Faça liquidações relâmpagos em que são concedidos descontos durante pequenos períodos. No entanto, não tente “enrolar” o cliente. Se você anunciou que seu estabelecimento vai realizar uma queima de estoque amanhã, não estenda a promoção para além do mencionado ou o consumidor não vai mais acreditar quando você lançar mão dessa tática de novo.

A vitrine merece todo o cuidado. Renove-a com frequência para atrair a atenção do cliente. Invista na divulgação. Confeccione folders, anuncie na mídia (se houver verba), ative seu cadastro de clientes, mande e-mail marketing e faça postagens nas redes sociais.

Use a criatividade e não perca tempo. Se tiver dúvidas, procure o Sebrae-SP.

*Ivan Hussni é Diretor Técnico do Sebrae-SP

Deixe um comentário