Mais da tucanada!

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

Começou pelo governo Barjas e continua enraizado no atual a série de irregularidades apontadas pelo TCE – Tribunal de Contas do Estado. Essa gente parece que não aprende, ou se finge de morta nos desacertos dos números. E olha que ao antigo prefeito é economista de carteirinha. Daqueles, que presumivelmente só erram em favor próprio. Daí parece que resolveram e de novo aplicar o dito popular que um é pouco, dois é bom e três é demais, pois na mesma linha dos titulares do décimo primeiro andar da margem esquerda do rio, o presidente da autarquia de água, acaba tendo um novo apontamento de irregularidade em licitação. Desta vez com a empresa que presta serviços de fiscalização e portarias. Por isso eu digo que os partidos se repetem. Quando não são os vermelhos, são os amarelos e azuis. Interesses pessoais levados ao ‘top’, como verdadeiros princípios político/administrativos. Ah!.. você quer exemplo? Então vai apenas um: – Pela força e desejo deste mesmo presidente, está sendo a encaminhado um PL – Projeto de Lei para a câmara, no sentido de votar a aprovação da venda de água para Saltinho, que, diga-se de passagem, é filho de lá e por tal, carrega interesses familiares e talvez comerciais a um salto daqui. Ainda segundo os políticos interessados no assunto, além de ser uma medida solidária e temporária, ela não deve afetar o fornecimento de água em nossa cidade, pois segundo o mesmo presidente, existe uma situação de aparente conforto com a vazão atual do Corumbataí acima de 7 m3/seg. Só pra lembrar, o sistema de comportamento hídrico de baixa para a nossa região vai de agosto a novembro, portanto, estamos em plena entressafra de água, e o que é pior, num dos menores índices pluviométricos já vivido. Ora, se  isto é fato, me parece estranha a vazão indicada acima. Mesmo assim, como cidadão, nada contra a mantença de ajuda, desde que se garantam direitos iguais a outros municípios do entorno. Para finalizar, fico a questionar, se um vereador local tem direito em legislar sobre assunto de interesse exclusivo de outro município. Do jeito que está e se deseja, só mesmo tomando uma água pra engolir essas vontades e interesses.

Deixe um comentário