Outubro

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

Acho um dos meses mais ricos. Dia primeiro comemoramos Terezinha de Lisieux 1873-1897. Menina geniosa; loira de olhos azuis, traços delicados, alta e extremamente bela. Entrou para o Carmelo aos 15 anos e morreu aos 24. Tornou-se a santa da humildade e padroeira das Missões.

Dois, dia do Anjo da Guarda. Desde pequeno aprendi que temos um anjo protetor a nos inspirar bons sentimentos. Hoje estão dispensados. Os pais preferem monitorar os filhos pelo celular. Nesse mesmo dia em 1992, a Polícia Militar de São Paulo invadiu o Carandiru e matou 111 presos desarmados, pelados e já rendidos. Dizem que o sangue escorria pelos corredores. Esse crime impulsionou o surgimento do PCC.
No dia quatro, comemoramos São Francisco de Assis, o santo mais admirado e amado pelo mundo todo. “Eu preciso de poucas coisas e as poucas coisas de que necessito, necessito pouco” dizia. Em 1897, o Exército brasileiro trucidou milhares de sertanejos em Canudos no interior da Bahia. Liderados pelo Conselheiro desafiaram a Republica, o latifúndio e autoridades da Igreja criando uma comunidade autossuficiente. No dia nove, em 1967, o exército boliviano tocaiou e matou, nas selvas da Bolívia, Ernesto Che Guevara, só e doente. Moçada de hoje, com latinha na mão e carrão, trazem sua estampa nas camisetas. Até parece que são capazes de algum sacrifício pela causa dos oprimidos.

Em 1975, no dia 25 militares mataram o jornalista Wladimir Herzog. Simularam enforcamento. Foi início da derrocada da Ditadura. No dia 29 em 1979, foi a vez do metalúrgico Santo Dias numa passeata. Heróis que nossa geração não merece. Bunda-moles de hoje em vez de se envolverem na melhoria do país querem que os milicos voltem e façam isso.

Dia 12, Dia da Criança. Pais, igrejas, escola, poder público, mídia, todos unidos para calá-la e enquadrá-la. Afinal, se a vida for do jeito que ela pensa, o sistema todo vem abaixo. No mesmo dia Senhora de Aparecida, a imagem negra achada do Rio Paraíba em 1717. Em vez da construção de uma sociedade justa, fraterna e sem preconceitos como é seu desejo, erguemos um mega templo. Impressiona, mas serve para nada.

Dezoito é dia do médico. “Nós que trabalhamos com os doentes, não devemos ter inveja de ninguém, pois Deus nos confiou a melhor parte da caridade”. (São Camilo de Lélis). Que São Lucas os ajude a enfrentar a indústria da doença e lhes dê sabedoria para ouvirem, pois nosso povo é mais carente que doente. Quinze é dia do professor. Como esquecer dona Luiza, minha enérgica professora primária. Saímos do 4º ano sabendo mais que os da 9ª hoje, porque de lá para cá governantes picaretas sucatearam a Escola; fizeram dela uma ilha de alienados cercada de grades e muros por todos os lados. 28 é vez do servidor público, aquele que conserta as burradas de políticos incompetentes. Sem ele fica o povo na mão. É a profissão mais importante que existe. Muitos ainda não perceberam isso. Trinta e um dia do Saci, que algumas professoras insistem em trocar pela ridícula festa americana de Halloween, como se nosso folclore fosse menos mais rico, alegre e interessante. Tomara que o Saci não lhes passe uma rasteira. 

Muito mais coisas são lembradas em outubro. Porém, paro por aqui lembrando que é também o mês do Rosário, a oração popular por excelência. Um breviário do povo para ser recitado à noite com a família. Dessa oração meus pais não abriram mão um dia sequer. Manteve nossa família unida, e as “portas do inferno não prevaleceram contra ela”.

Deixe um comentário