Para alegrar nossos dias

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

alegria

O mundo está desnorteado e confuso, as alterações climáticas dão claros sinais de que não são falácias, a humanidade padece de males estarrecedores, incluindo-se aí a corrupção generalizada. Por desgraça final, convivemos com a violência insana de quem atira para matar.
O atirador dispara nas pessoas num concerto ao ar livre, nos fiéis dentro de uma igreja, em qualquer local, simplesmente atira. E depois se suicida. Um menino, cujos pais nunca o viram reclamando de bullying, leva uma arma na classe e mata dois colegas, ferindo outros tantos. Creio que muitos de nós fomos vítimas de brincadeiras infelizes na escola (ah, como sofri com minhas “orelhas de rato”!) e ninguém saiu atirando…
Tais tragédias nos colocam em confronto com tantos valores, e com outras inúmeras questões, de como a família estaria cumprindo seu papel de educar, de amar e também ensinar a prática do amor. Sim, transtornos de personalidade existem e precisam de tratamento, mas nem sempre são detectados. A sequência terrível de mortes inocentes nos causa um profundo pesar e a sensação estranha de que o Mal (assim com M maiúsculo) parece rondar o planeta.
Para alegrar estes dias sombrios, relatados com temor e angústia, venho propor o exercício da paz interior, da busca do equilíbrio pessoal, emocional e psíquico, por mais difíceis sejam as condições em que nos encontremos. Minha mãe costumava dizer “ninguém vive num mar de rosas”. Penso que não. Todos nós temos problemas, ansiedades e medos. Muitos suportam empregos detestáveis, rotinas desgastantes, dias sem graça e sem alegria. Costumo rezar para os que carregam cruzes pesadas. Há tanta gente neste caminho de dor.
Para alegrar estes tempos de ódio, violência e desamor, proponho uma parada diária, um breve momento de reflexão sobre a nossa vida, nossa família e nossos amados. A casa abençoada, o carro necessário, nossa comida, nossa roupa e tudo o que nos cerca e de que dispomos, amorosamente. Demos graças. Graças pelo pão de cada dia. Graças por estarmos de pé, cumprindo a vida.

Para enfrentar os terrores da noite, desviar a seta que voa durante o dia, livrar-nos da peste que ronda nossa morada, passar pelo vale de sombras e lágrimas, bendigamos ao Criador de todas as coisas. É do Alto que vem o nosso auxílio. Ore em voz alta: A nossa proteção está no nome do Senhor, que fez o céu e a terra.
Para alegrar nossos dias, não percamos a fé e a esperança. Compreendamos o outro, o nosso amigo e o nosso inimigo. Rezemos por todos. Conforme bem o declarou o papa Francisco, “estamos todos em construção”. A paz!

Deixe um comentário