Rabo de cavalo

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

A presiden’TA’ deve ter respirado aliviada quando os fogos espocaram na virada do ano, pois não é preciso entender de economia para reconhecer que 201- foi tarde! Daí, talvez para fazer jus ao número 13 da sua sigla partidária e da desastrada política econômica, seu governo acabou por anunciar com um misto de vergonha e incompetência, o pior saldo da balança comercial dos últimos treze anos. Com uma queda de 87% em relação a 2012, ela e o Lula (longe) já devem estar pensando nos riscos para a sua reeleição. Some-se a todo esse desastre, o episódio do empresário ‘Mandrake’ Eike Batista que caloteou o mundo de forma generalizada. Como não bastasse essa avalanche de desastres da política econômica, projeções internacionais para 2014, apontam com bondade, um crescimento Brasil para 3,2%, algo 20% menor que a média mundial e o pior dos Bric’s. Daí, no mercado financeiro mundial nossa economia é chamada de rabo de cavalo, pois cresce pra baixo e para trás. Nesse ponto, fosse eu um economista diria: fogo morro acima ou água morro abaixo, senão tiver controle ninguém segura. Assim, faz tempo que temos sido só água. Portanto, se nesse ano o governo não mudar em correção os rumos da nossa economia, por certo vamos nos afogar pelo aumento da recessão e condenada inflação. Será que vamos precisar, e de novo, das boias do FMI? Por enquanto ainda dá pé!

 

Wilhe Gerdes – publicitário

Deixe um comentário