Sabedoria de Ano Novo

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

12241591_10201431939995722_5313480113394722315_n

    Quem me dera elaborar um manual para 2017, um receituário bem detalhado, com itens preciosos e importantes, na tentativa de propor algo semelhante a uma sabedoria invulgar, regras de bem viver, de bem amar e sonhar. Quem me dera!

Vivemos hoje num ambiente altamente tecnológico, virtual e digital, correndo o risco de nos distanciar cada vez mais da realidade, do mundo natural e real, para cair perigosamente numa rede de complexidades que nem sempre corresponde aos anseios do nosso coração.

Se isso é assustador, é também atraente e fascinante. Com espírito crítico e discernimento, faça-se bom uso de tudo o que dispomos hoje em dia. São novidades que surgem de instante a instante, abrindo inúmeras portas para a comunicação, a informação e o conhecimento.

Vivemos a era do conhecimento e quem o detém está em posição privilegiada. Trata-se de matéria inquestionável. Pelo conhecimento é possível mudar nossa realidade. Utilizando as ferramentas corretas, tanto intelectuais quanto técnicas, alguém habilidoso descobre como superar as dificuldades de uma região árida. Esta pessoa saberá como produzir água de forma sustentável.

Segundo o físico Marcelo Gleiser, somos “a consciência cósmica, somos como o Universo reflete sobre si mesmo”. E pela profunda conseqüência desta revelação, acredito que podemos encontrar nela o principal fundamento da vida. Cada um trate de descobri-lo, antes que seja tarde.

Nunca é tarde para começar um novo tempo. Depois do ano velho marcado por desastres de toda ordem, corrupção a perder de vista, atropelos políticos e prisões impensáveis, tragédias que nos fizeram chorar um luto desesperador, queremos pedir a Deus um pouco de trégua.

Venho pedindo isso há muito tempo. E não apenas na passagem de um ano para outro, momento que muitos acreditam ser particularmente mágico ou místico, onde nossos desejos podem se realizar se pedidos com força e fé. Sim, talvez, se soubermos simplesmente rezar baixinho, para falar com Deus.

Deus sabe que um ano de graças depende mais de nós do que d´Ele. Nós precisamos de Deus todos os dias e cabe ao homem transformar este mundo num lugar habitável, onde além de leite e mel, jorrem as fontes da justiça, do amor e da paz. A construção desta cidadela é tarefa humana.

Se existe uma sabedoria a ser escrita com humildade e entendimento, acredito ser ainda aquela que diz respeito à simplicidade. Viver de modo a tirar da natureza o necessário, sem exauri-la. Respeitar toda forma de vida e agir com gratidão. Ter atitudes éticas, pensando no próximo, em como melhorar a qualidade do nosso meio, da nossa comunidade.

Frei Saul, numa célebre homilia em missa de Ano Novo, anunciava: “Gente, não muda nada, apenas a data na folhinha”. Sim, não se iluda. A vida continua. Enquanto existir Aleppo e outras insanidades, é impossível pensar num feliz ano novo.

Nas mensagens proféticas, Nossa Senhora diz que a oração tem o poder de transformar situações. Nesta hora especial, de renovação e de sonhos, a grande sabedoria é orar. Seja a fé a nossa lúcida salvação.

 

(Para o Jornal de Piracicaba, 3/1/2017) – Tb já postado no FB.

Deixe um comentário