Uma hora boia

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

downloadQuem por vezes me acompanha meus textos, por certo já reconheceu alguma contextualização minha promovida sobre o ‘ex’ (mais recente) prefeito, em suas atitudes e posturas minimamente controversas e autoritárias naquilo que pautou, principalmente sua secretaria de obras. Para tanto, para não estourarmos a edição completa desse dia, vamos ficar somente em dois desses maus exemplos: – o Hospital Regional e o novo e segundo CDP – Centro de Detenção Provisória. A falácia foi geral e à época, algumas pessoas mais próximas chegaram até a afirmar que tudo seria uma moeda de troca junto ao governo do estado. Constrói um cadeião e leva um hospital. E assim foi. Claro que hospital/saúde todo mundo quer, todavia, em nem nenhum dos casos fomos consultados sobre isso. Entretanto, o que hoje se vê, é a farsa anunciada e cantada lá atrás por mim, com uma única e mortal diferença aumento de 4 vagas para internação da nossa cidade, pois o Hospital que segundo aquele prefeito dizia que seria nosso, voltou para a tutela do estado, depois da aprovação em primeira discussão em 17/10, para rapidamente ser aprovada em segunda discussão 4 dias depois, por nossa ‘competente’ câmara de vereadores. E tudo isso, bem debaixo do nosso nariz. Assim, mais uma vez, provado fica: – A coisa quando é ruim, uma hora boia, trazendo à tona toda lama contida nesse fundo sujo da política nacional e tupiniquim. Daí fica um questionamento: Se era tão bom pra cidade logo ali atrás, porque esses vereadores mudaram tão rápido de posição, devolvendo ao estado o hospital? Por que toda e qualquer obra ou obrinha dessa cidade sempre teve a necessidade de aditamentos (em alguns casos abusivos) e extremamente destoantes da realidade de mercado? Assim sendo, quando o próximo inverno chegar trazendo com ele o novo CDP, espero que você, cidadão, não se arrepie ou tão pouco se espante se a criminalidade aumentar, pois é regra dominante boa parte da família e amigos acompanhar bem de perto seus reclusos, trazendo na bagagem, uma ausência de estrutura e consequente aumento da criminalidade local. Sem o nosso conhecimento, venderam a nossa cidade. Parte dela já entregaram ao estado e no futuro aos bandidos darão!

Deixe um comentário