Carta pública do movimento “Reaja Piracicaba”

Esta seção está disponível à população para a discussão dos interesses da comunidade, incluindo sugestões, reclamações, etc. Basta enviar-nos um e-mail através desta página. A redação reserva-se o direito, no entanto, de avaliar a autenticidade dos conteúdos e a pertinência da publicação. Informamos, ainda, que os textos aqui publicados não traduzem, necessariamente, a opinião do site.

No dia 1º de agosto, aniversário de 245 anos de Piracicaba, o município assistiu a uma comemoração diferente da que está acostumado: a celebração do exercício de cidadania de sua população. Cerca de 200 pessoas, animadas pelo movimento Reaja Piracicaba, ocuparam as ruas do centro da cidade para exprimir sua indignação perante o aumento salarial de 66% dos vereadores (aprovado no início de julho do ano passado pela Câmara dos Vereadores) e reivindicar a implementação de propostas que visem a transparência pública e a participação social em Piracicaba.

Essa manifestação foi uma das expressões do debate deflagrado no município em outubro de 2011 pela 1ª Conferência Municipal sobre Transparência e Controle Social de Piracicaba (Consocial). A Consocial contou com a participação de mais de 140 pessoas e aprovou um conjunto de 20 propostas que, se implementadas, permitirão um avanço significativo na transparência pública, participação e controle social, bem como no combate à corrupção em Piracicaba. Desde então, um grupo de pessoas da sociedade civil vem sistematicamente se reunindo para discutir estas temáticas e o papel dos cidadãos e cidadãs como protagonistas de um processo de mobilização social nesse sentido.

Diversas ações foram organizadas, como a realização de reuniões preparatórias da sociedade civil para a Consocial; o Ato Público “Piracicaba Contra a Corrupção!” no dia 09 de dezembro de 2012, Dia Internacional de Combate à Corrupção; uma reunião na Câmara de Vereadores para apresentação das propostas da Consocial; a elaboração e entrega de uma carta pública, solicitando ao prefeito e aos vereadores a implementação das propostas aprovadas pela Consocial, em especial de cinco propostas priorizadas pelo grupo, assinada por 30 instituições; e a realização de um Ato Público na OAB, com o intuito de promover o debate em torno das propostas da Consocial e do aumento do salário dos vereadores.

Neste contexto, diversas pessoas e instituições foram aderindo à causa do grupo e foi tomando forma o movimento Reaja Piracicaba, expressão de um coletivo de pessoas engajadas em promover a reflexão crítica sobre estas questões, movidas pela sua indignação e pelo anseio de aumentarem a participação social no município.

Este movimento, ainda em formação, configura-se como pacífico, apartidário e parte do princípio de valorização e respeito à diversidade de seus participantes. Sua consolidação depende do reconhecimento da sociedade sobre a importância de se reverter o processo de silenciamento e acomodação da população ao que lhe é colocado pelo poder público.

O Reaja Piracicaba agradece a todas as pessoas que participaram da manifestação ocorrida no dia 1o de agosto e considera vitoriosa a ação da população que, pacificamente, se dedicou a esta ação de cidadania. Convidamos a todos que desejam se comprometer com esta causa comum a participar do próximo Ato Público “Reaja Piracicaba” na Câmara dos Vereadores dia 09/08/2012, com a finalidade de usar nosso direito de voz e expressar nossa reivindicação por uma Piracicaba mais justa, transparente e participativa.

Atenciosamente,

REAJA PIRACICABA

3 comentários

  1. Matheus em 10/08/2012 às 17:47

    Reaja Piracicaba!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  2. Antonio Carlos em 30/08/2012 às 12:14

    GESTO

    Seria um gesto de nobreza e uma resposta ao clamor popular; uma homenagem aos que lutam pela ética; um UP na esperança e um duro golpe na charlatanice se os que receberam títulos da atual legislatura de nossa Câmara de Vereadores os devolvessem. Essas dignas pessoas homenageadas não precisavam disso. Aliás, nem deveriam ter aceitado afim de não referendar políticos profissionais que não fazem e nem deixam fazer. Além de transformaram a Câmara num condomínio particular, se venderam ao Executivo e, para encerrar seu nefasto mandado, mas visando o próximo, afrontaram a população presenteando-se com um aumento de 66%, privilégio que profissionais muito mais necessários que eles nem em sonho tiveram.

  3. Ma Rolim em 26/08/2013 às 11:51

    EU acho esse trabalho seus maravilhoso um salario de 6.000 reais ta muito bom para eles quantos pai de familia vive com um salario enquanto a saude a violencia cresce no municipio conte comigo

Deixe um comentário