Zona Azul Digital em Piracicaba

Esta seção está disponível à população para a discussão dos interesses da comunidade, incluindo sugestões, reclamações, etc. Basta enviar-nos um e-mail através desta página. A redação reserva-se o direito, no entanto, de avaliar a autenticidade dos conteúdos e a pertinência da publicação. Informamos, ainda, que os textos aqui publicados não traduzem, necessariamente, a opinião do site.

Algumas coisas precisam ser compartilhadas. No dia 15 de agosto, na parte da tarde, estacionei o carro na Rua São José, altura do número 552, e fui retirar o bilhete eletrônico de estacionamento da Zona Azul. O terminal estava com pane e a funcionária (operadora 31) avisou que a máquina mais próxima também estava com pane e por isso não iria fazer a cobrança do estacionamento, eu segui com meus afazeres. Em menos de meia hora retornei ao carro e havia no para brisas uma notificação de cobrança executada pela operadora 31, que por sinal não estava mais presente no local do terminal. Hoje, pela manhã, a primeira coisa que fiz foi procurar uma funcionária da empresa, que cobre a área do mesmo terminal, e expliquei o ocorrido. A funcionária disse que como o período da tarde era de responsabilidade da operadora 31 ela não poderia ajudar e que, PARA MINHA SURPRESA, eu deveria ir até o escritório da empresa e pagar R$ 10,00, ainda hoje, para evitar que a notificação virasse uma multa com valor maior. Como assim? Eu tentei comprar o bilhete, o aparelho da empresa apresentou pane e eu é que tenho que pagar R$ 10,00 para não ser multado? Não tem lógica! Liguei na empresa e após falar com duas pessoas, fui informado que nada poderia fazer a não ser pagar. Questionei, dizendo que não concordava, pois o problema apresentado foi no terminal que é de responsabilidade da empresa. Não agi de má fé. Eu estava lá para comprar o bilhete de estacionamento, o que não foi possível. A questão central nem é o valor de R$ 10,00. É sobre a cobrança ser legal diante dos fatos. A resposta que obtive da funcionária foi a seguinte: a culpa é do sistema, não há o que fazer, tem que pagar. Indignado, consultei o PROCON que entendeu o problema, mas não pode registrar nada porque eu não tinha provas de que o terminal que emite o bilhete estava quebrado. E de fato, o aparelho não nos emite um comprovante com os dizeres “Indisponível no Momento”. Foto ou vídeo eu só poderia usar como provas em julgamento e não para notificar no PROCON. Ainda segundo o PROCON eu teria que, na mesma hora, ter procurado um policial e na presença dele ter feito com que a operadora 31 declarasse por escrito que o terminal apresentava problemas e ela assinar constando o número do RG. Alguém já se imaginou andando pelas ruas com um bloco de papel e caneta pronto para caçar uma autoridade policial para ter seus direitos assegurados a cada vez que algo similar ocorrer? Não só me senti lesado e insultado como me senti de mãos atadas. Talvez seja mesmo culpa do sistema, mas de qual sistema?

1 comentário

  1. celso bisson em 21/08/2012 às 03:55

    desculpa de covarde é culpar o sistema. Tudo nessa zona (literalmente) é ilegal. Um exemplo: se vc é multado por falta do bilhete ou por ultrapassar o tempo pago, vc cometeu uma infração, portanto deverá ser multado. Se pagar R$10,00 para a EMPRESA e não à PREFEITURA, a multa é cancelada… Isso não caracteriza suborno ?

Deixe um comentário