Tatiana, ocupando seu espaço

Tatiana_evento-SeteLagoas

Tatiana Teixeira Silva no evento em Sete Lagoas

Uma das debatedoras no ciclo de palestras e debates do Projeto “Mulheres Semeadoras de Cultura”, do ICEN – Instituto Cecílio Elias Netto, em sua edição de Sete Lagoas – MG, Tatiana Teixeira Silva é estudante de graduação em Pedagogia e professora na rede municipal de ensino. Jovem negra e umbandista, Tatiana também deixou seu depoimento sobre o evento:

“Quantos dos meus se calaram e quantos ainda não entenderam a importância de falar? Chega de colocar a mulher negra nos cantos como se nunca fôssemos capazes de protagonizar; nossa história já foi embranquecida demais. Deixa a coisa ficar preta!! Vamos tornar preto os espaços. Resistir está em nosso DNA.

Ser mulher é desafiador, pois mesmo diante da luta somos delicadas; ainda que guerrilhando, temos o dom de estar sempre a florescer. Como foi lembrado aqui, sim, a luta é de todas nós mulheres. Independente da cor que carrega nossa pele, ser mulher nunca foi fácil e ainda temos uma estrada longínqua para alcançar tudo que nossa alma deseja.

Mas, por mais semelhante que sejam as nossas lutas, estar do “lado de cá” é estar o tempo todo tentando ocupar espaços, de nós tirados pelo privilégio branco construído historicamente. A mulher luta por espaço e reconhecimento e nós, mulheres negras, lutamos por tudo isso, com o racismo batendo o tempo todo em nossa porta.

Entendam o quanto é importante estar nessa posição, que este evento me proporcionou. Eu estava ali por um convite, eu não invadi aquele espaço. Muitas vezes, para ter voz, uma mulher negra precisa invadir para dizer o que pensa; e eu não invadi, fui convidada!”

Dandara dos Palmares

“Não me sinto uma mulher negra vinda da senzala, onde a mulher abaixava a cabeça e seguia o que lhes era imposto para sobreviver. Sou, mesmo, feito uma “Dandara dos Palmares” – mulher forte vinda dos quilombos para lutar pela liberdade do que se pensa e sente; e não de forma individual, mas coletiva, por todos.

Enfim, só cabe gratidão por tudo que representa esse convite para participar deste evento, que foi um presente. Em destaque, a mulher! Parabéns a todas envolvidas; cada uma fez por merecer ser lembrada. E não vou deixar de dizer da alegria que foi me ver enquanto mulher, negra, da periferia, educadora e umbandista. Estar ali, mostrando um pouco da minha verdade, ocupando um espaço que, sem dúvida, é meu! Foi por todas a mulheres negras, que muito lutaram para que, hoje, eu pudesse andar de cabeça erguida.

E quero dizer da minha gratidão a Deus, aos meus Orixás – em especial ao orixá que rege meu ori; por sinal, um orixá feminino que carrega em si todo encanto e saber do ser feminino. Minha gratidão aos guias que me guardam e auxiliam por onde vou e por cada pessoa que acredita em minha verdade! Meu nome é Tatiana Teixeira, mas, quando falo, não é apenas por mim e, sim, por todos os remadores do mesmo barco em que me encontro. A bênção aos meus ancestrais e axé a todos nós!”

Mulheres Semeadoras de Cultura

O Projeto “Mulheres Semeadoras de Cultura”, do ICEN – Instituto Cecílio Elias Netto, foi composto por um ciclo de palestras e debates, e a publicação de um livro. Com a coordenação da B2 Comunicação, o Projeto contou com o apoio cultural da Caterpillar – por meio da Lei Rouanet, Lei Federal de Incentivo à Cultura. Para conhecer o Projeto, na íntegra, acesse o link: https://bit.ly/2ml0xyf

Venha, você também, semear cultura

Agora, A Província quer ouvir e publicar sua história; conhecer sua experiência; saber quem são mulheres semeadoras de cultura para você – muitas delas anônimas e desconhecidas. Queremos aprender mais sobre o que é semear cultura e investigar a qualidade da semeadura de todos nós. Por isso, convidamos você a, também, fazer parte deste Projeto!

Envie seu depoimento ou seu relato para o e-mail redacao@aprovincia.com.br, identificando seu nome e profissão, com uma foto (opcional). Ou registre aqui, mesmo, no espaço reservado aos comentários.

 

Deixe uma resposta