XV recebe homenagem do MMDC

capa_mmdc

Em cerimônia realizada na tarde desta segunda-feira, 07, no estádio Barão da Serra Negra, o XV de Piracicaba recebeu da Sociedade de Veteranos MMDC do estado de São Paulo a Medalha e Diploma Constitucionalista. A entrega aconteceu através da iniciativa do núcleo de voluntários de Piracicaba.

Na solenidade estiveram presentes o sub-tenente do Exercito e Chefe de instrução do TG-02028, Jorge Luiz Pires, o Coronel da PM  e comandante da CPI9 Humberto Gouvêa Figueiredo, o presidente do XV, Celso Christofoletti, Maria da Glória, bisneta de Nelson Prudente de Morais Meirelles e prima N Silveira Mello, ambos voluntários de Piracicaba na revolução, Geraldo Junior representando o vereador Pedro Kawai , José Carlos Esquierro, do Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba (IHGP), o atirador André, representando o  Tiro de Guerra, Tenente André Diniz, da Polícia Militar, Ivete D´Bronzo, filha do ex-presidente do XV, Humberto D´Bronzo, Capitão Gumiero, representando a tenente-coronel, Gisela do 49 BPMI, a Major Adriana Sgrigneiro, comandante do 10ª Batalhão da Policia Militar do Interior e o presidente do núcleo de voluntários de Piracicaba, Edson Rontani.

Segundo Rontani, o evento era um sonho do MMDC, pois o clube piracicabano, além de outros da cidade doaram seus troféus e medalhas, organizaram jogos beneficentes em prol da revolução e foram de suma importância para o estado. “Ficamos muito felizes em ter essa oportunidade. Essa homenagem se dirige ao XV, mas se estende a todos os clubes de futebol de nossa cidade que não mediram esforços na luta pela ditadura”, disse.

O presidente alvinegro se sentiu lisonjeado por receber a homenagem. “São anos de lindas histórias aqui no XV. Hoje recebo essa medalha, mas represento todos os presidentes, torcedores e jogadores do XV, principalmente aqueles que foram para o campo de batalha”, afirmou Christofoletti.

O Sub-tenente do Exercito Jorge Luiz Pires frisou o momento importante para a nação que foi a Revolução de 1932. “Todo movimento armado tem a intenção de promover mudanças e a revolução de 32, provocou a realização da constituinte, em 1934, que estabeleceu diretrizes para sua aprovação em 1988. Muitos dizem que perdemos a guerra, mas São Paulo ganhou e possibilitou uma vida melhor a todo brasileiro”, resumiu.

Natural de Araraquara e morando em Piracicaba ha dois meses, o comandante da CPI9, Humberto Gouvêa Figueiredo, entrou pela primeira vez no Barão da Serra Negra e ficou emocionado. “Sou torcedor da Ferroviária e sempre ouvi os jogos pelo rádio. Quando criança ouvia as transmissões da Ferroviária enfrentando o XV aqui no Barão. Para mim era um momento mágico, pois sempre fui fã do XV. Estou muito feliz de estar aqui e tenho certeza que também vou torcer pelo XV. Será meu time na primeira divisão. Essa homenagem é mais do que justa para um clube centenário e de tanta tradição”, finalizou o comandante.

Deixe um comentário