O sabor das maçãs

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

unnamedCaro leitor, estou indignada. Quero saber, e acho que você também, o que é que houve com as maçãs. Elas estão sempre ali, nas bancas de frutas, reluzindo vermelhas e tentadoras. Quero saber onde foi parar o sabor das maçãs.

Não consigo comprar uma bela maçã doce, suculenta, com sabor de verdade. As maçãs de hoje estão pasteurizadas demais, sem gosto nenhum, algumas são difíceis para mastigar, outras possuem uma casca muito dura, impossível comer.

Perdoe-me o saudosismo, mas já não se cultivam maçãs como antigamente. Ah, as maçãs da minha infância, aquelas que a gente via no mercado central, dentro de um caixote de madeira feito de ripas clarinhas, todas embaladas num papel de seda roxo, onde se lia “manzanas argentinas”.

Aquilo tinha um cheiro que impregnava a alma! Nós sabíamos quem da classe tinha levado maçã argentina de lanche, só pelo cheiro que ela exalava de dentro da lancheira.

Aliás, no meu tempo, somente os alunos ricos levavam maçã argentina de lanche. Os outros comiam pão com manteiga, pão com queijo, pão com mortadela. O meu preferido era pão com mel. Sempre havia algum colega que não havia levado nada. Como não repartir e dar um pedaço do nosso lanche?

Um dia, pedi a minha mãe para comprar maçã argentina. Levei de lanche e me senti uma princesa naquele dia. O perfume que exalava da minha lancheira não me deixava esquecer o que eu ia comer na hora do recreio. E antesaboreava aquela maravilha com água na boca.

Ninguém poderá jamais saber o que se passava no coração de uma menina cheia de dores, mas que possuía a mais bela e mais saborosa maçã dentro do peito.

Sempre associei a maçã à Eva e até hoje me pergunto por que ela fora tão tola, a ponto de se deixar seduzir pela serpente. Eu teria sido mais firme. Sobretudo, jamais desobedeceria a uma ordem dada pelo Criador. Sou alguém a quem se pode confiar uma tarefa. Quando tenho algo a cumprir, faço com paixão.

Bem, mas a mulher que passeava inocentemente nua pelo Éden não resistiu ao apelo da língua bífida, portanto, deu no que deu. O mundo está aí, cheio de doenças e males diversos. Injustiças e corrupção de toda ordem. Coisa de envergonhar até mesmo à serpente enganadora. Outro dia, li um texto religioso, onde se dizia que o diabo fica pálido diante da maldade humana…

Elegi a maçã como tema central, mas posso citar também o melão. Quase não se acha mais um melão doce. Mesmo as uvas estão cada vez mais sem graça e azedas. É uma sorte comprar um cacho bom. Outro dia, comprei meia dúzia de laranjas tangerinas. Aproveitei apenas duas. As outras estavam secas, duras, sem sumo nenhum.

Seria o uso excessivo de agrotóxicos, aditivos químicos, pesticidas e o diabo a quatro para produzir em abundância, dando às frutas uma boa aparência? De que adianta, se elas vão perdendo a suculência e o sabor?

Ah, a escola primária, a lancheira do recreio, a maçã argentina! E ter o resto da vida para comê-la!…

 

Deixe uma resposta