​Diagnóstico irresponsável

Os textos de diferentes autores publicados nesta seção não traduzem, necessariamente, a opinião do site. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

diagnosticoExistem certas coisas, que eu juro, não consigo entender. A mais recente e acontecida aqui em solo tupiniquim, diz respeito à chegada de médicos cubanos. Vi e ouvi diferentes correntes opinativas, tanto contra como a favor. Uma, em especial, de um renomado médico, amigo meu de colégio, que literalmente contra, defendia os médicos brasileiros sob argumentos qualitativos e quantitativos de superioridade na formação de graduação médica. Entretanto, tudo isso seria bonito se fosse verdade, pois dia desses, uma pessoa da minha família, com quadro alto de febre e muita tosse, levada ao plantão de um conhecido plano de saúde, após 2h45, e com alguns exames realizados, saiu de lá com uma receita de antibióticos para diagnóstico de cálculo renal e sem que o paciente tivesse qualquer sintoma para tal enquadramento. Na manhã seguinte, por discordância do diagnóstico ofertado pela médica, voltamos com o familiar ao plantão, e lá, uma nova médica descartou de pronto o diagnóstico anterior por simples observação da radiografia pulmonar feita no dia anterior que para a médica estava normal. Daí, o laudo passou de cálculo renal para pneumonia: – quase igual! Nessa altura, o que se pode concluir, é que apesar de toda evolução clínica e laboratorial ocorrida em nosso país, uma coisa resta clara: – grande parte dos médicos aqui formados, não sabe se quer interpretar laudos e exames. Por isso, antes de criticar os médicos da ilha de Fidel, bom mesmo seria reavaliar seus conceitos e equipe do plano médico da qual o doutor, além de fazer parte, já ocupou, no passado, cargo de destaque no conselho administrativo.

2 comentários

  1. Jairo Teixeira Mendes Abrahão em 29/04/2014 às 12:14

    Cumprimentos pela opinião!

  2. toni em 05/05/2014 às 00:13

    Então, devemos entender que os médicos cubanos não erram? Seria esta a base do argumento para a contratação deles? Estamos fritos!

Deixe um comentário