Sesc Piracicaba inaugura 14ª Bienal Naïfs do Brasil

Foto: Isabella Matheus

Artista: Marcelo Schimaneski
Título: “Iate Clube”
Ano: 2018
Técnica: Óleo sobre tela
Dimensões: 50 x 70 cm

No dia 17 de agosto, às 20h, o Sesc Piracicaba inaugura a 14ª edição da Bienal Naïfs do Brasil, sob o título “Daquilo que Escapa”, com curadoria de Armando Queiroz, Juliana Okuda e Ricardo Resende. Depois,o evento segue de 18 de agosto a 25 de novembro de 2018.

Composta por bordados, desenhos, esculturas, gravuras, pinturas, vídeos, entre outras técnicas, produzidas por 121 artistas (107 selecionados e 14 convidados), de 21 estados do país, a Bienal se reafirma como maior evento de arte naïf do país, destacando peças que simbolizam não apenas a infinidade de relações do homem com a fauna, a flora, com o sagrado e o religioso, mas também o caráter transgressor e insubordinado do artista naïf, sua visão crítica, engajamento e resistência.

Dentre os 107 selecionados, 4 artistas recebem o prêmio “Destaque-Aquisição” – seus trabalhos passam a integrar o Acervo Sesc de Arte Brasileira -, 5 são premiados na categoria “Incentivo”, além de 4 “Menções Especiais”, sendo o júri de Premiação composto por Armando Queiroz, Fabiana Delboni e Moacir dos Anjos.

Criada em 1992, na unidade de Piracicaba, a Bienal tem como intuito privilegiar a produção de artistas que revelam características da arte ingênua, espontânea, instintiva, popular, naïf ou naïve, concebidas, em sua maioria, de forma autodidata. Nos dizeres de Danilo Santos de Miranda, diretor regional do Sesc São Paulo: “A potência da arte naïf expande-se para além da linha abstrata de divisão do tempo que a comporta e transborda, coabitando na pluralidade da cena contemporânea. (…) Tais vertentes expõem uma profusa diversidade de repertórios e realidades com universos particulares, que estendem horizontes e anseios, ideais e utopias, mostrando faces do que somos: um país heterogêneo repleto de contradições, com intensos contrastes sociais, buscando a afirmação de suas raízes e a valorização das distintas vozes, cores e manifestações culturais”. Miranda complementa: “Nesse ensejo, a Bienal abriga as obras selecionadas, os artistas convidados e adensa sua presença com diversificadas ações socioculturais, que se destacam nas atividades formativas tanto no Sesc Piracicaba quanto em espaços da cidade, além de um programa educativo com mediadores junto aos seus públicos”.

Para a Bienal Naïfs do Brasil 2018, a comissão curatorial ressalta a impossibilidade de exaurir a complexidade das vidas e das obras de todos os artistas que demonstraram interesse em participar, ou mesmo dos que foram escolhidos e convidados a expor. “A ingenuidade como forma de respeito, ao adentrar a casa de alguém, um pedido de licença para abordar qualquer aspecto que não nos pertença. Foram muitas visitas às casas ateliês num desejo explícito da curadoria de conhecer a ambiência de vida e criação desses artistas”, comentam Armando Queiroz, Juliana Okuda e Ricardo Resende sobre o processo de seleção e montagem da exposição. Baseados no que viram e ouviram, os curadores desta Bienal partem da proximidade com os artistas, de forma colaborativa, para a composição da mostra: “Dar conta e refletir sobre a realidade da produção desses artistas e suas múltiplas possibilidades de contextualização junto aos temas contemporâneos da arte e da sociedade. (…) O que se quer é estar juntos, pensar juntos. São os artistas que nos dizem ser Naïfs”.

Após receber 583 inscrições, de artistas provenientes de 24 estados brasileiros, perfazendo um total de 1.164 obras inscritas – sendo 2% provenientes da região norte, 11% do nordeste, 9% do centro-oeste, 71% do sudeste e 7% do sul do país -, a Bienal Naïfs do Brasil chega a sua 14ª edição orientada não por um tema, mas por um caminho sugerido pelo título “Daquilo que Escapa”. Acerca disso, os curadores dizem: “Aquilo que escapa serve para dar orientação do que a curadoria deseja privilegiar: a visão crítica, o engajamento, a resistência, o caráter transgressor e insubordinado, a diversidade de relações com o sagrado e o religioso, as relações afetivas com a fauna e a flora, com a realidade imperiosa e o mundo dos devaneios entrecruzados, além de variados outros temas abordados pelos artistas em suas obras”.

foto: Isabella Matheus

Artista: Codo
Título: “Senhora Rênal”
Ano: 2017
Técnica: Acrílica sobre madeira
Dimensões: 42 x 40 cm

Artistas participantes: A D. Silva | Adisseny | Adri Lang | Águia | Alan Rodrigo (Besouro) | Albina Oliveira | Alcides Peixe | Aldophe | Alex dos Santos | Ana Zamaro | André Cunha | Anoushe Duarte | Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho | Arieh | Arivanio Alves | Arlindo de Oliveira | Azlemp | Biagini | Calderari | Carlos Valério | Carmela Pereira | Carmelito Santos | Carmézia | Carminha | Cecílio Vera | Célia Santiago | Cezinha Pé na Cova | Chico Santos | Chico Silva | Clóvis Júnior | Codo | Danbeco | Dibrósio | Diego Carvalho de Paula | Dilsão | Dona Nina Abreu | Doni 7 | Duhigó | Dulce Martins | Eduardo Nascimento | Eduardo Ver | Eri Alves | Eriba Chagas | Fernando Araujo | Fernando Bororó | Fernando Rios | Gildo Xavier | Givagomes | Guilherme Aquino | Gustavo Ansia | Helena Paula | Hélio Melo | Hiorlando | Iara Coimbra | Irailda | Ivan Cesar | Izabel Mendes da Cunha | Jean Zuqui | João Marciano | João Seles | Jofersant | José Antonio da Silva | Josinaldo | Julio Firmo | Juventino | L. O. D’Albuquerque | Lilian Rosa | Lourenço Beleboni | Lúcia Neto | Luciano Luz | Lucio Larangera | Luiz dos Anjos | Manoel Santos | Marcelo Schimaneski | Marcia Silveira | Marcio Nehrebecki | Marcos Akasaki | Maria Aparecida Queiroz Machado | Marilene Gomes | Marlene Kirchesch | Matheus Souza | Mestre João do Carmo | Mestre Nato | Mick | Nestor Filho | Neves Torres | Nilda Neves | Nilson Machado | Nilson Pimenta | Norman Corrales | Patricia Ruth | Paulo Perdigão | Paulo Roberto | Pituko Waiãpi | R. Domingues | Raquel Trindade – A Kambinda | Renata Kesselring | Renata Matusceviko | Renato Pontes | Rodrigo Motta | Ronaldo Torres | Rosalina | Rosângela Politano | Roseli Fontaniello | Ruiy Moura | Ruy Relbquy | Salvatori | Sebá Neto | Sérgio Pompêo | Shila Joaquim | Shoko Suzuki | Silvia Maia | Simone Koubik | Sinesio Brandão | Tatiana Seabra | Toninho Guimarães | Valdeck de Garanhuns | Varne Acosta | Vera Lucchini | Wender Carlos

 

 

Informações sobre o evento

Datas e horários

17/08/2018–25/11/2018

Abertura, no dia 17/08, às 20h. Terça a sexta-feira, das 13h30 às 21h30 | Sábado e domingo, das 9h30 às 18h

Local

Sesc Piracicaba

Rua Ipiranga, 155

CEP 13400-480

Piracicaba, SP

  • (19) 3437-9292
  • Site

Ingressos

  • Grátis
Aviso: as informações do evento são de responsabilidade do organizador e podem sofrer alterações sem aviso prévio. Confirme antes de sair de casa.

Deixe uma resposta