Córrego do Itapeva

itapeva

Arquivo

O córrego Itapeva (em tupi quer dizer pedra chata), que está sob a avenida Armando de Salles Oliveira, foi tema de uma matéria de destaque do jornal impresso A Província em setembro de 1987.

Era um córrego que nos anos 20 tinha cascudos, lambaris e piquiras. Na pontinha da Rua Riachuelo havia uma comporta. Toda a água que vinha do córrego e também da mina do Olho da Nhá Rita, junto ao leito da
Sorocabana, era ali retida. Quando atingia o limite, abria-se a comporta e a água levava toda a sujeira até à Ponte Velha, no Rio Piracicaba. Todas as ruas do Bairro Alto, até a Saldanha Marinho, tinham pontinhas. Na que ficava à rua Moraes Barros havia uma biquinha e a água era salobra. A meninada fazia guerra de mamonas, pois as árvores ladeavam as margens do Itapeva.

O Itapeva percorria de onde está hoje o Teatro Dr. Losso Netto até o rio Piracicaba, onde desembocava. Foi canalizado em 1957 pelo então prefeito Luciano Guidotti, que recobriu de massa asfáltica sua extensão de três quilômetros.

Deixe um comentário