Ergue-se o gigante da praça – Edifício “Luiz de Queiroz” (1)

Comurba 1

Visão panorâmica do atual estado das obras do edifício “Luiz de Queiroz”, que a Comurba está construindo na Praça José Bonifácio. Arrojado empreendimento, que transformará a fisionomia urbana de nossa cidade.

Nada mais acertado do que escolher o nome do maior pioneiro de Piracicaba para um edifício que também será pioneiro no arrojo de transformar a fisionomia urbana de nossa cidade.

Esse conjunto arquitetônico que a COMURBA está edificando, a passos decididos e largos, na Praça José Bonifácio, é, antes de tudo, um símbolo perfeito e eloquente de pioneirismo. Nele se concentram, de maneira admirável, as tradições positivas de um povo que sempre soube empenhar-se, com bravura, com inteligência e com fé, na luta pelo desenvolvimento, cultural e material de sua terra. Ele é o produto de uma das maiores conjugações de esforços dos piracicabanos para a realização de uma obra monumental.

Ele indica que aquele ardor visionário pelos empreendimentos arrojados — que fez de Luiz Vicente de Souza Queiroz o maior e mais atuante pioneiro de nosso progresso — continua vivo nos piracicabanos de hoje, impulsionando-os a novas lutas e novas conquistas para a grandeza do mesmo chão desbravado, com bravura heróica, pelo messiânico fundador de nossa indústria, de nossa energia elétrica e de nosso maior galardão de povo civilizado — a Escola Superior de Agricultura.

Por isso, repetimos, certa, certíssima e felicíssima também foi a iniciativa dos diretores da COMURBA em dar ao maior edifício de Piracicaba o nome do pioneiro Luiz de Queiroz, e, ainda mais, fazendo-o solenemente, no dia maior da cidade, o 1o de Agosto, e justamente quando os piracicabanos saldavam sua enorme dívida de gratidão, erigindo ao grande homem, na mesma Praça José Bonifácio, o simbólico monumento que o relembrará eternamente.

A fim de que se tenha uma concepção mais aproximada do que vai ser o Edifício “Luiz de Queiroz”, vamos reproduzir, aqui, dados que nos foram fornecidos pelo dr. Raul Coury, presidente da Comurba.

Comurba 2

Nesta esplêndida foto de Paulo Ribeiro da Silva, as colunas funcionam como pernas do gigante que se ergue na praça central, para atestar a pujança de nossa gente.

Será um belíssimo conjunto arquitetônico, abrangendo numerosa concentração de área para diversas finalidades: comercial, cinema, escritórios, residências. A disposição, porém, obedece à forma tão perfeita que dá absoluta independência às aludidas áreas que, conservando a necessária harmonia entre si, estabelecem a mais perfeita harmonia do todo.

No pavimento térreo, teremos as lojas, em número de 16, que dá para o passeio externo, se oferecerão para o passeio externo (passeio coberto por marquise protetora em toda a extensão do prédio) ou para a rua de circulação interna, que se desenvolverá em curva suave pelo interior do conjunto, ligando a Praça José Bonifácio à rua São José. Tais lojas terão altura de 5,80m, o que permitirá a disposição de mezaninos ocupando 1/3 da área das lojas. Destas, uma se destinará a Banco e outra, de forma ideal, acomodará uma sorveteria e bar, com a vantagem da colocação de mesas na calçada e em parte da galeria. A maior vantagem de que gozarão as lojas será a de servir a galeria para sala de espera para o cinema, de maneira que elas serão sempre visitadas por grande e selecionado público. As lojas ocuparão uma área de 1040m2 e os mezaninos 300m2.

(continua)

 Para conhecer o texto completo, acompanhe a TAG Comurba.

[Texto publicado, originalmente, na “Revista Mirante”, que circulou em Piracicaba no final dos anos 1950 e início dos 60. A revista contou com Renato Wagner, como seu diretor, e Joaquim do Marco, como redator, ao lado de diversos colaboradores]

Conteúdo relacionado

Deixe uma resposta