Lixo cresce mais que a população, no final do século

A reciclagem de lixo ganha impulso apenas ao final do século XXEntre 1974 e 1997, o lixo doméstico coletado em Piracicaba passou de 22.370,042 toneladas/ano para 72.668,930 toneladas/ano, ou seja, apresentou um crescimento de 324,85% . No mesmo período, a população passou de 164.427 para 306.925 habitantes, ou seja, apresentando um crescimento de 180,60%.

Em 1997, conforme dados da Secretaria Municipal de Defesa do MeioA reciclagem de lixo ganha impulso apenas ao final do século XX Ambiente, 55% do lixo doméstico era composto por matéria orgânica, 25% por papel, 7,45% por plásticos, 6,3% por latão, ficando outros materiais como alumínio, vidros, etc com percentuais abaixo de 1%. Na estatística não foram incorporados os resíduos de lixo coletados junto à área de saúde. O levantamento indica, ainda, que existia uma produção de 180/200 toneladas/dia de lixo doméstico, correspondente a 0,6 a 0,7 kg/ habitante/dia.

Segundo trabalho apresentado na UNIMEP, em 1999, por Alessandra Bargiela, formanda do curso de Economia, o trabalho de reciclagem, em 1997, ainda era pouco significativo. Apenas o vidro tinha um reaproveitamento de 79,26% do total recolhido, enquanto a reciclagem atingia 7,32% do papel, 9,14% do plástico e 22,6% do alumínio.

Deixe um comentário