Pingaterapia: quando a marvada pinga fazia bem.

Agosto, mês do folclore. E, portanto, também de crendices vindas do antigo povo da zona rural, com suas lendas, hábitos e crenças, com sua medicina popular. Até a cachaça, antigamente menosprezada, tinha finalidades especiais. Pois, para o caipira, nem sempre é verdade que “a marvada pinga é que atrapaia”. Há, em relação à cachaça, um riquíssimo folclore, incluindo a chamada “pingaterapia”, o uso que os caipiras fazem da pinga como auxiliar na medicina popular. Alguns exemplo:

Para resfriado e gripe – Uma dose dupla, com bastante limão e açúcar, de preferência o mascavo, devendo-se evitar banhos durante o tratamento…No fundo, é a brasileiríssima “caipirinha”.

Para sarna – Misturar caroço de algodão amassado a um copo de pinga, tomando-se três cálices ao dia. Pode-se banhar.

Para libertar catarro – Dose dupla de pinga, com uma mistura recém-saída do fogo de gengibre, açúcar e casca de laranja.

Nunca se confirmou que as receitas funcionem. Mas garante-se a gostosura delas.

Deixe um comentário