Júri internacional escolhe melhores obras do Salão de Humor neste sábado

Marlene-Pohle-02---foto-Leo-PinheiroEscolher os vencedores do 40º Salão Internacional de Humor de Piracicaba é a tarefa da comissão julgadora, que se reúne neste sábado (17), no Engenho Central. Nomes nacionais e internacionais integram o júri de premiação, responsável pela análise das 442 obras nas categorias cartum, caricatura, charge e tiras/hqs. O anúncio dos premiados ocorre em 24 de agosto, quando serão entregues R$ 47 mil aos primeiros colocados.

Dois presidentes da Feco (Federação das Organizações dos Cartunistas) estão entre os avaliadores: o francês Carlos Brito e a argentina radicada na Alemanha Marlene Pohle, que já esteve no júri do Salão em outras três ocasiões. Há ainda o português António Moreira Antunes, que atuou como presidente do júri do World Press Cartoon.

Um dos fundadores de O Pasquim, Zélio Alves Pinto está entre os brasileiros confirmados. Ele integrou o júri do Salão em 1974, data de criação da mostra. Zélio avalia as obras ao lado de Ciça Alves Pinto, que atuou como colaboradora de O Pasquim nas primeira e na segunda fases. Completam a comissão o paulistano Roberto Negreiros, um dos maiores ilustradores brasileiros, e o historiador, caricaturista e pesquisador Luciano Magno.

O melhor trabalho nas categorias cartum, caricatura, charge, tiras/histórias em quadrinhos e intolerância será contemplado com R$ 5 mil. E o melhor entre os premiados fica com o Grande Prêmio Salão de Humor de Piracicaba – Zélio de Ouro, no valor de R$ 10 mil. O Salão conta com o Prêmio Aquisitivo Câmara de Vereadores (R$ 3.131,11), exclusivo para a categoria Caricatura, e com o Prêmio Júri Popular Alceu Marozi Righetto (R$ 5.000), com escolha por meio de votação pública na internet, além do Prêmio Temático Futebol (R$ 5 mil) e o Prêmio Saúde Unimed (R$ 3 mil).

Este ano, 966 artistas de 64 países enviaram suas obras ao Salão. Entre os dias 3 e 4 de agosto, elas passaram por análise do júri de seleção: os cartunistas Pryscila Vieira, Natália Forcat, Gilmar, Lucas Leibholz e Paulo Branco, o ilustrador Rafael de Latorre e o professor Celso Figueiredo Neto.

QUATRO DÉCADAS – Realizado pela Prefeitura do Município de Piracicaba, por meio da Secretaria da Ação Cultural e do CEDHU Piracicaba (Centro Nacional de Humor Gráfico), o Salão de Humor foi criado por jornalistas e intelectuais com o apoio de Millôr Fernandes, Jaguar, Fortuna, Henfil, Ziraldo, Zélio e Paulo Francis, à época os responsáveis pelo irreverente jornal O Pasquim. Desde a sua criação, o evento tornou-se vitrine para grandes profissionais do cartunismo e humor como Laerte Coutinho, Angeli, Glauco Villas Boas e Alcy Linares.

A mostra principal fica em cartaz até 20 de outubro, com 142 cartuns, 97 caricaturas, 74 charges, 73 tiras/HQs e 56 trabalhos sobre futebol. Outras 29 mostras paralelas serão realizadas, além de quatro workshops, três debates, lançamento de livros, espetáculos de teatro, a 2a Caminhada com Humor, o 3º Concurso de Microcontos de Humor e o Festival Paulista de Circo. A programação inclui ainda o 11o Salãozinho de Humor.

Comissão de premiação

Zélio Alves Pinto – Jornalista, pintor, caricaturista e ilustrador. É um dos fundadores de O Pasquim. Esteve no grupo que incentivou o primeiro Salão de Humor de Piracicaba. Fundou o Salão Internacional de Humor Gráfico das Cataratas do Iguaçu, no Paraná.

Ciça Alves Pinto – Foi colaboradora de O Pasquim nas primeira e na segunda fases e por 20 anos publicou suas tiras em grandes jornais brasileiros e do exterior. Lançou 22 livros, entre poesias, quadrinhos e infanto-juvenis. Diariamente publica a tira Pato, no Jornal do Brasil.

Marlene Pohle – Argentina radicada na Alemanha, é vice-presidente da Feco (Federação das Organizações dos Cartunistas). Conquistou prêmios na Espanha, França, Itália, Holanda, Alemanha e Luxemburgo. Ilustra livros de línguas estrangeiras e realizou exposições na Europa, Turquia e Argentina.

Carlos Brito – Nascido em Lisboa, mudou-se para Paris por questões politico-militares. Vice-presidente da Feco (Federação das Organizações dos Cartunistas), atua na imprensa como profissional de desenho desde 1980. Participou de júris na Grécia, Portugal, Alemanha, Brasil e Dinamarca.

António Moreira Antunes – O artista português foi presidente do júri do World Press Cartoon desde a sua fundação. Em Lisboa, é colaborador do semanário O Expresso. Recebeu prêmios nos salões de humor no Canadá, França, Suécia e Itália e expôs no Rio de Janeiro, Brasília, Madri, Paris, Barcelona, entre outros.

Roberto Negreiros – Considerado um dos maiores ilustradores brasileiros de todos os tempos. É colaborador constante das revistas Veja, Playboy, VIP e Piauí, além de diversos livros infanto-juvenis das editoras Globo, Saraiva, Moderna e Ática. Em 2006 recebeu o Prêmio Esso de Jornalismo em Criação Gráfica – Categoria Revista.

Luciano Magno – Doutor em história social da cultura, é autor do livro História da Caricatura Brasileira, classificado pelo jornal O Globo como uma das melhores obras de 2012. Idealizador e curador do 1º Festival de Humor Gráfico, realizado em 11 espaços culturais no Rio de Janeiro. É ainda editor e coordenador editorial da Gala Edições de Arte.

Deixe um comentário