Martha Watts, morando na casa dos Moraes Barros

No dia 13 de setembro de 1958, o dr. Nicolau de Moraes Barros, filho do Senador Moraes Barros, foi o orador convidado para as solenidades do 77o. aniversário do Colégio Piracicabano. Na oportunidade, ele relatou como ocorrera a chegada de Miss Martha Watts a Piracicaba, acolhida na residência dos Moraes Barros:

“Guardo bem vivo na memória o dia em que, no velho solar da residência de minha família à antiga Rua do Commércio, apareceram duas senhoras cujo aspecto, trajes e maneiras denunciavam duas estrangeiras. Miss Watts era uma delas. Na carta de apresentação que traziam a meu pai, se dizia serem enviadas de uma associação de ensino americana, de caráter religioso, para aqui fundarem um colégio. Inteirado do objetivo, não disfarçou meu pai seu contentamento, antes deu-lhe franca expansão acolhendo as visitantes com simpatia carinhosa e pondo-se a seu serviço. (…)Basta dizer que, nesse medo dia, surdo às suas (delas) insistente recusas, estavam ambas aboletadas em nossa casa como hóspedes. De começo foi uma tragédia! Meu pai a se entender com elas mais por gestos que por palavras. Minha mãe, coitada, na maior atrapalhação de sua vida, para hospedar condignamente duas estranhas cujos hábitos e língua desconhecia. E a garotada achava graça no que presenciava. Essa incômoda situação, entretanto, durou pouco. Ao cabo de uma semana de convivência, clarearam os horizontes, quebraram-se as arestas do protocolo, diluiu-se a prevenção do ambiente e a mais franca camaradagem se estabeleceu entre hóspedes e hospedeiros. À mesa, já se deliciavam com o tempero e sabor da cozinha provinciana e, nas horas de lazer, riam-se e nos faziam rir com a pronúncia arrevesada das palavras portuguesas que queriam aprender e das inglesas que tentavam nos ensinar. Decorridos dois meses, abria-se o Colégio Piracicabano instalado em pequeno prédio alugado à rua dos Pescadores, hoje Prudente de Moraes, mal suspeitando a sua fundadora o êxito invulgar que aguardava. Anunciada a matrícula, três irmãos meus foram os primeiros a se inscreverem, fato que teve simpática repercussão no meio social e dispôs favoravelmente a opinião para com a nova casa de ensino. Eu ainda não tinha idade.”

(Foto: Memorial de Piracicaba, 2000, Cecílio Elias Netto)

Deixe um comentário