Memória: saber ler e escrever

A vocação de Piracicaba para o conhecimento nasce com as suas próprias origens. No ensaio de Daniel Pedro Muller, “Quadro Estatístico da Província de São Paulo”, citado por Mário Neme em sua “História da Fundação de Piracicaba”. Há números do ano de 1836, que confirmam essa característica piracicabana.

Naquele ano, Piracicaba contava 10.921 habitantes e tinha o maior número de pessoas, em toda a Província, que sabiam ler e escrever: 395 de seus moradores! Para se avaliar o que isso significava, Itu e Porto Feliz – que tinham mais habitantes – tinham 166 e 124 pessoas que sabiam ler e escrever. Curitiba, com 16.157 habitantes, tinha apenas 152 pessoas alfabetizadas.

Deixe um comentário