Para vencer em São Paulo, datilografia

Foto: Filipa Laranjeira “Laranja”/Olhares

Corria o ano de 1940, as manchetes dos jornais indicavam que, “muito em breve, São Paulo será a maior cidade da América do Sul”. E qual a imagem melhor do que esta para ali colocar-se o profissional vencedor, o que conquistou os mais altos salários e teve reconhecida sua competência?

Em Piracicaba, a Escola Olivetti, inovando na publicidade, fez veicular um anúncio no jornal “O Diário” (então “Diário de Piracicaba”), onde todas estas considerações se misturavam. O texto descrevia São Paulo ” com seus escritórios gigantescos, suas empresas poderosas, seus formidáveis estabelecimentos bancários, onde nos postos de evidência e responsabilidade há ocupação para milhares de moços e moças que tenham tido um preparo adequado, prático e eficiente, ganhando ordenados invejáveis e valendo- se apenas de seu próprio valor, sem a necessidades de padrinhos ou proteção”.

Ainda segundo a publicidade, ” as organizações precisam, para vencer na luta das competições, de gente capaz e só os que se preparam num ambiente prático, familiarizando-se com as modernas máquinas de escrever, de calcular, códigos telegráficos, duplicadores de circulares, fichários e arquivos terão o privilégio da preferência”. E onde obter tudo isto? Ora, na Escola Olivetti, em Piracicaba, sob a direção do Prof. Gastão Puppo, com instalações a Rua Governador Pedro de Toledo, nº84. Sucesso garantido.

No entanto, a principal e mais estimada escola de datilografia de Piracicaba era a da profa.Rosinha do Canto, na rua 15 de Novembro, no antigo sobrado ainda existente quase à esquina da rua Governador.

1 comentário

  1. Familienforschung Stipp em 20/11/2012 às 17:30

    Gente Bonita do A Provincia

    A datilografia nobre técnica que não se aprende mais, levava nós caipiracicabanos a vencer na vida.

    Assim como as aulas do curso tecnico de contabilidade, aprendiíamos taquigrafia e datilografia. A Escolinha do Zanin formava não só profissionais mas tambem Homens. Forjava Homens. Alem do que os Professores eram excelentes.

    Mas o estudo da técnica da datilografia precisava de prática, à medida em que se praticava, se aprendia a técnica.

    Além do curso tecnico de contabilidade, cursava tambem datilografia no Colegio Piracicabano, que abrigava a Escola de Datilografia Remington..

    Formado Tecnico em Contabilidade, recebi como presente, do tio Benedito Liborio, Contador da Escola de Agronomia, uma caneta Mont Blanc. Os Tecnicos de Contabilidade, Guarda Livros, Contadores, escrituravam à mão os livros mercantis. Borrador, Diário, Razão, etc. etc.

    Mas também recebia o diploma de datilografo. Fui o Orador da Turma. E a datilografia estava aí, preparando-nos para o futuro.

    Quem aprendeu a datilografar teve facilidade para se valer do teclado dos equpamentos de informatica. Na decada de 1960, para perfurar os cartões IBM era preciso se utilizar das máquinas perfuradoras e conferidoras, todas com teclado de datilografia. Hoje quem se utiliza de microcomputadores utilizam os teclados de datilografia.

    Enfim…

    Linneu Jose Liborio Stipp

    Piracicabano, ainda caipira,

Deixe um comentário