Alberto (Bertico) Thomazi

Alberto Thomazi – conhecido carinhosamente como Bertico Thomazi – nasceu em Piracicaba em 14 de janeiro de 1922, tendo falecido também aqui no dia 1 de novembro de 1986. Herdeiro do talento artístico da família, era filho do pintor, decorador e restaurador Mário Thomazi e sobrinho de outro grande artista, Ernesto Thomazi. Sua família notabilizou-se, também, pela música.
Foi desenhista da ESALQ, diretor da Casa das Artes Plásticas, sócio fundador da Associação Piracicabana dos Artistas Plásticos, membro ativo do Codepac (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico e Cultural – Piracicaba). Como que herdando o temperamento de Mário Thomazi, o pai, Bertico foi um contemplativo e amante da cidade à beira rio: rua do Porto, o Mirante, o antigo bosque Miranda, atualmente Praça Ermelinda Souza Queiroz, na Boyes.
Sua obra, segundo João Chiarini, teve influência também dessa paixão contemplativa de um dos mais lúcidos intelectuais piracicabanos, Antônio Pinto de Almeida Ferraz, um apaixonado pelas coisas do rio. Como Tonico Ferraz, Bertico andava horas e horas contemplando as alturas da Chácara do Morato, do Morro do Enxofre. E sua obra reflete essas belezas.

 

 Thomazi, Alberto Chafariz de Marília [Ouro Preto] , s.d. c.i.d. Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Thomazi, Alberto
Chafariz de Marília [Ouro Preto] , s.d. c.i.d.
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Professor primário, foi um idealista da educação. Seus trabalhos foram apresentados em galerias brasileiras e no exterior. Participou de muitos dos salões de Piracicaba, com obras que se tornaram conhecidas, tais como: “Voadora” (1953), “Paisagem do Mirante” (1958). Em 1958, ainda que não se considerando retratista, fez um excepcional retrato do jornalista Losso Netto, pertencente ao arquivo da família. Apaixonado por história e folclore, buscou motivos para sua pintura em cidades tradicionais como Santana do Parnaíba, São Luiz do Paraitinga, Congonhas do Campo, Anhembi, Tietê, Ouro Preto.

(Fotos: “Anuário dos Artistas Plásticos de Piracicaba”, 2000. Projeto Suzette Thame Gutierrez.)

Deixe um comentário