João Egydio Adamoli

Iniciou seus estudos de pintura aos 19 anos. Em 41, fez sua 1ª exposição individual, a qual marca o início da renovação artística na região, num chamado “escândalo modernista”, dado o tipo de pintura que apresentou. Em 67, expõe em Sala Especial no I Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba e recebe a grande homenagem como 1º pintor moderno da região. Fez exposições individuais e participou de inúmeras coletivas em São Paulo e Rio de Janeiro. A difusão de sua pintura atinge até o exterior.
Deixou grande quantidade de trabalhos, que por si falam de um caminho novo, estilo próprio e autenticidade inquestionável. Pintou inúmeras paisagens, entremeando trabalhos de figuras e naturezas mortas. Joça Adamoli “integra a milícia dos maiores paisagistas brasileiros confirmando sobretudo a valorização da figura num tempo renovado de pintura”. Adamoli pintou afrescos em igrejas e paisagens ao ar livre. Suas obras chegaram aos Salões por mãos de amigos, porque fugia das soluções impostas e premiações dos Salões. Muitas vezes elas eram recusadas ou aceitas de favor. Podemos distinguir 5 fases em seu trabalho.
As 2 primeiras desafiam o academismo local. Nas seguintes, sintetiza sua obra. O terceiro período é marcado por sua interiorização, devido à doença que o acometeu.
Progressivamente, suas paisagens irão suscitar no observador uma profunda sensação de paz. As décadas de 60 e 70 mostram um forte período de revolta interior. Seu último período é extremamente fecundo, fundindo seus elementos, utilizando um mínimo de matéria como se em seus quadros não houvesse mais que a alma dos elementos. Dizia: “sinto que minha pintura evoluiu para grandes massas nebulosas e me sinto desmanchar dentro delas”. Extensa bibliografia cita seu nome. Tem obras em acervos particulares e museus no Brasil e exterior. Adamoli nunca perseguiu prêmios. Eles vieram a ele. Recebeu 4 prêmios aquisitivos e Medalhas de Bronze e Prata. Após sua morte, houve 5 mostras de seu trabalho.

Obras

Interior
óleo s/ eucatex – 29 x 37,8 cm
XV SBAP – 1967
Acervo da Casa das Artes Plásticas Miguel Outra





Tarde de Sol (antiga estrada do Porto João Alfredo)
óleo s/ tela – 1,15 x 99 cm
Acervo de Mima Adamoli de Barros

Deixe um comentário