Pia União de Santo Antônio

Fotos: Lacôrte (Revista Mirante)

Não havia em torno da Pia União de Santo Antonio uma publicidade sistemática e permanente que lhe divulgasse as atividades benéficas, fazendo-a assim conhecida do público e atraindo o auxilio desse mesmo público. Embora fosse alto o valor dos serviços prestados sem alardes, anonimamente e com rigoroso critério seletivo a numerosos necessitados.

Uma de suas zeladoras definiu a União como uma “escolhinha de ação social”. Os membros da Pia União de Santo Antonio “descobriam” os pobres envergonhados (aqueles que precisam de ajuda, mas sentem-se envergonhados de pedi-la) e lhes amparavam até que vencessem as situações adversas.

A Revista Mirante destacou que essa era uma grande instituição filantrópica, cuja ação precisava ser divulgada, não só para receber maiores doações dos piracicabanos, mas também para que engrossasse o contingente ainda pequeno de suas zeladoras e se multiplicasse o número de associados. A presidente era Alzira Maluf.

A reportagem trouxe ainda um pouco do desenvolvimento da União. Sua fundação deu-se em novembro de 1945, pelo dinâmico Bispo Diocesano Dom Ernesto de Paula, que a fez inspirado em nosso santo e querido padroeiro Santo Antônio.

A Pia União de Santo Antônio tinha, no Pão de Santo Antônio, um símbolo: dar de comer a quem tem fome.

Sua primeira recepção fez-se com nove zeladoras e 41 associadas. Em 1960, passou a contar com 400 zeladoras e 150 associadas.

Em maio de 19047, a Pia União foi agregada à Pia Primária de Roma, ereta canonicamente na Igreja de Santo Antônio, em Roma.

Deixe um comentário