“Luz Negra” da Cia. Pessoal do Faroeste no Sesc Píracicaba

unnamed (2)

A Cia. Pessoal do Faroeste traz a Piracicaba o espetáculo musical que foi sucesso de público e crítica em São Paulo, escrito por Paulo Faria, para duas apresentações, nos dias 17 de agosto, quarta-feira, às 19h e às 21h30, no Sesc Piracicaba. Luz Negra é também o espetáculo que reafirmou a parceria entre a Cia e atriz Mel Lisboa na reconstrução da história da Região da Luz e que marca o encerramento da trilogia iniciada em 2012 com Cine Camaleão e no ano seguinte, em 2013, Homem Não Entra sobre temas relacionados à cidade de São Paulo, em especial a Região da Luz, a Boca do Lixo, onde a Cia Faroeste está instalada há uma década e meia.

“Luz Negra” é um espetáculo musical, com nove partituras inéditas, sobre a região da Luz e a Frente Negra Brasileira em São Paulo nos anos 1930. O movimento Frente Negra foi criado em 1932 e revela várias facetas da participação dos negros no contexto político, cultural e social da época. Com a instauração da ditadura do “Estado Novo” no dia 10 de novembro de 1937, a Frente Negra Brasileira, assim como todas as demais organizações políticas, foi extinta. Este será o dia em que se passa a peça que inicia após o crime do castelinho da Rua Apa retratado no espetáculo Cine Camaleão da Cia.

O projeto também se estenderá ao cinema e trechos do filme de ficção “Luz Negra” (primeiro longa ficcional da Cia) dialogará com a dramaturgia. As personagens são inspiradas em figuras históricas deste movimento como Luiz Gama (a peça prestará uma homenagem ao abolicionista), Abdias Nascimento (criou o Teatro Experimental do Negro, que completa no dia 13 de outubro, 70 anos) e ao nascimento do sambista da Glete Geraldo Filme, além de personagens do cinema da Boca como a vilã Vanda Marquetti que será interpretada pela atriz Mel Lisboa – única personagem que diferentemente dos outros usará peruca loira e figurino branco.

Uma associação de comunicação (rádio, jornal, escola e recreativo) nos anos 30 será o cenário onde se dará a trama.  O samba será o tema musical da peça com composições inéditas e interpretações ao vivo. Os negros farão parte do núcleo de uma elite intelectual paulistana e os brancos da marginalia social, desenvolvendo uma dramaturgia em que os primeiros serão protagonistas desta história.  Recuperando assim a imagem do negro no topo de uma pirâmide social deste período, e como o final da década de trinta ceifou a possibilidade da acessibilidade do negro no Brasil de hoje e suas consequências na distribuição de renda, assim como sua permanência marginal na geografia urbana, social e econômica da cidade de São Paulo.

Outro ponto tratado no espetáculo é o cinema. Nesta década de 1930 as distribuidoras de filmes internacionais começam a ocupar a Rua do Triunfo, que viria a se tornar entre as décadas de 1950 e 1970 a maior produção de cinema do Brasil, quando neste período os cineastas e produtoras se mudam também para região da Boca do Lixo. O filme que foi produzido em setembro dialogará com o espetáculo. Para esta montagem o Pessoal do Faroeste convidou atores negros com experiência na pesquisa da cultura negra no Brasil, para somar, trocar experiências e saberes – integrando assim o elenco da montagem. Mel Lisboa será a única atriz da Cia que fecha uma trilogia sobre a Boca do Lixo, envolvendo “Cine Camaleão” e “Homem Não Entra”.

Ficha Técnica:

Elenco:

Clency Santana – Benedito

Cloddoaldo Dias – Orland Claude

David Guimarães – Rubinato

Flávio Rodrigues – Abdias Nascimento

Leona Jhovs – Tinga

Mariza Junqueira – Vanda Marquetti

Stenio Kosta– Zé Pretinho

Raphael Garcia – José Correa

Thais Dias – Flora Eunice

Julio Lorosh – Adan Smith

 

Dramaturgia e direção artística: Paulo Faria

1º Assistência de direção: Cleber Cajun

2º Assistência de direção (oficina de direção): Conrado Dess

Composição musical: Letras de Paulo Faria e música de Melvin Santhana, Thais Dias, William Simplício e elenco

Direção Musical e arranjos: Felipe Roseno e Michi Ruzitschka

Direção de vídeo: Dário José

Cenário: Marcos Freitas e Paulo Faria

Assistência de cenário: Cleber Cajun e David Guimarães

Cenotecnia: Marcos Freitas

Figurinos: Thais Dias e Paulo Faria

Assistência de figurino: Marilea Aguiar

Costureira: Elza Dias

Camareira: Luzia Sotero da Silva

Luvas e toca da atriz Mel Lisboa/Marisa Junqueira: À dor amores

Peruca: Lully Hair

Visagismo: Evandro Angelo – CKamura

Luz: Beto Magnani

Operador de luz: Flavio Pontes

Operador de vídeo: Eduardo Marinho

Assistência elétrica: Flávio Pontes e Paulo Meirelles

Preparação Percussiva: Jorge Peña

Preparação e regência vocal: Bel Borges

Preparação física: Érika Moura

Capoeira: Pedro Peu e Dalua

Coreografia: Verônica Santos e Paulo Faria

Criação de logo: Cleber Cajun

Arte gráfica: Lucas Lander

 

SERVIÇO:

Espetáculo “Luz Negra”

Dia 17 de agosto (quarta-feira) – duas apresentações – às 19h e às 21h30

Sesc Piracicaba

  1. Ipiranga, 155 – Centro, Piracicaba

Entrada Franca

No Teatro

Capacidade – 150 lugares

Duração: 75 min

Indicação 14 anos

Deixe um comentário