2º Salão de Aquarelas – Piracicaba está aberto ao público

Garota e o quadrado - Renato Palmuti - Mostra Aquarelas de Renato Palmuti - Foto ReproduçãoNa noite da última sexta-feira, dia 1º/04, aconteceu a solenidade de abertura e premiação da segunda edição do Salão de Aquarelas – Piracicaba (SAP), na Pinacoteca Municipal Miguel Dutra. Realizada pela Prefeitura de Piracicaba, por meio da Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural), a mostra pode ser visitada até 1º de maio, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h; sábados e domingos, das 14h às 18h.

O 2º SAP contou com a inscrição de 234 obras, de 88 artistas no total, artistas estes que se espalham pelos quatro cantos do país. As obras vieram de 33 cidades dos Estados do Amazonas, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná e Minas Gerais. Foram selecionados para compor a exposição 76 trabalhos, de 44 aquarelistas, que retratam paisagens urbanas e rurais, flora, fauna; obras que mostram locais icônicos e históricos de Piracicaba, como o Engenho Central, a Esalq e o rio.

O prefeito Gabriel Ferrato, presente na cerimônia de abertura e premiação, enfatizou que ter iniciado o SAP em seu governo foi gratificante. “Piracicaba é uma cidade que respira cultura e se quisermos ter um país, de fato, desenvolvido, respeitado, seja no plano local ou internacional, mais do que nunca temos que incentivar a cultura e a educação, essas são prioridades absolutas desse país, e essa cidade não foge desses compromissos”, disse.

O Salão de Aquarelas já começou forte no ano passado, com 231 obras inscritas, e este ano cresceu, com 234 trabalhos enviados. Isso mostra a grandiosidade desse salão que, com certeza, é exitoso e não vai parar”, afirmou a secretária da Ação Cultural, Rosângela Camolese.

PREMIADOS – Foram premiados no 2º SAP 14 trabalhos. Para o aquarelista Jorge Eduardo Alves de Souza, que fez parte do júri da mostra, a seleção das obras premiadas foi uma tarefa árdua. “Foi difícil porque temos que colocar de lado a preferência pessoal, já que aquilo que nós estamos julgando não se trata somente de gosto, é a magia da aquarela, a transparência, a dificuldade da aquarela”, disse. “Outro quesito que envolve a técnica é que ela é uma arte a dois: é o artista e a água. Porque a água, às vezes, toma alguns caminhos que a gente, que tem muita experiência, não imagina que vai acontecer e quando acontece, surpreende”, acrescenta.

Foram premiados Carmelo Gentil Filho, Klaus (Nikolaus) Reichardt e Carlos Avelino dos Reis (Prêmio Aquisitivo Prefeitura Municipal de Piracicaba), com as obras Série Cidade de São Paulo nº 14, Esalq – Parque Central e Quintal com Varal, respectivamente.

Renato Palmuti e Paulete Vaisberg Gerecht venceram o Prêmio Aquisitivo Unimed, com as obras Sadhu (Píngala) e Nebulosa, respectivamente. Já a medalha Miguel Dutra foi para Marco Antonio de São Pedro, com o conjunto Onde Nasci, na Ribeira das Naus, Onde Estive, Numa Expedição ao Brasil e Onde Morri, num Naufrágio em Alto Mar.

A novidade dessa edição, o Prêmio Aquisitivo Bauhaus Brasil – Piracicaba, foi entregue para João Paulo de Carvalho, com a obra Topofilia I.

O Prêmio Koralle, por sua vez, foi para Marlene da Silva Cafruni, com a obra Tradição Italiana I, enquanto que o Prêmio Pintar ficou com Claudio Roque Ferreira, com A Monocromia da Paisagem.

Também foram conferidas menções honrosas a cinco artistas: Ubirajara da Rocha Mros, por Sem Destino; Maria Rita Almeida Correa, com Entardecer e Dia de Sol em Paraty; Denise Otero Storer, premiada com a obra Gerações; Graciela Ines Wakizaka Yamada, com Bruma da Manhã e Plenitude, e Valéria Franco Mendes, com as obras Anei e Aneci.

MOSTRA PARALELA – Já na manhã do último sábado, dia 2, aconteceu a abertura da exposição paralela Aquarelas de Renato Palmuti, no Espaço Cultural Bauhaus Brasil – Piracicaba, localizado na rua José Pinto de Almeida, 258, Bairro Alto. A mostra traz 21 obras do artista, que ficarão expostas até o dia 2 de maio. A visitação segue de segunda a quinta-feira, das 8h30 às 22h; às sextas-feiras, das 8h30 às 19h; e aos sábados, das 9h às 13h.

Os trabalhos em aquarela de Palmuti são compostos basicamente por paisagens e figuras humanas. As paisagens retratam cenas urbanas ou rurais com uma movimentação natural de cada local. Já as figuras humanas têm duas vertentes bem definidas: as pinturas realizadas com modelo vivo, que exibem um trabalho mais gestual e dinâmico, e as figuras que são pintadas a partir de um ensaio fotográfico com modelo, que geram poses mais definidas e um acabamento mais aprimorado.

SERVIÇO – 2º Salão de Aquarelas – Piracicaba. Visitação gratuita até 1º de maio, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h; sábados e domingos, das 14h às 18h, na Pinacoteca Municipal Miguel Dutra, rua Moraes Barros, 233, Centro. Aquarelas de Renato Palmuti. Visitação gratuita até 2 de maio, de segunda a quinta-feira, das 8h30 às 22h; às sextas-feiras, das 8h30 às 19h; e aos sábados, das 9h às 13h, no Espaço Cultural Bauhaus Brasil – Piracicaba, localizado na rua José Pinto de Almeida, 258, Bairro Alto. Mais informações pelo telefone (19) 3433-4930.

 

Deixe um comentário