Cesta Básica apresenta tendência de estabilidade

O preço médio da Cesta Básica de Piracicaba ICB – ESALQ/FEALQ, calculado pela EJEA, para a semana encerrada no dia 24 de abril de 2015, apresentou uma queda de 0,27% em relação à semana anterior, passando de R$ 470,98 para R$ 469,72.

A categoria Alimentos ficou praticamente estável com variação de 0,01%, passando de R$ 381,58 para R$ 381,63. A variação da categoria Limpeza Doméstica foi de -1,73%, passando de R$ 48,27 para R$ 47,43. O preço da categoria Higiene caiu 1,17%, passando de R$ 41,13 para R$ 40,65. Os produtos com destaque nessa análise são a batata e o alho.

Na semana terminada no dia 24 de abril, o preço médio da batata caiu 13,39%, passando de R$3,04 para R$2,63/kg  atingindo o menor preço no ano. De acordo com o CEPEA/ESALQ-USP, o início da colheita da safra de inverno aumentou a oferta do tubérculo no mercado, ocasionando a queda observada nos preços. Além disso, comparando com o mesmo período em 2014, a área cultivada este ano teve um avanço de 6,2%, impulsionada pelas melhores condições climáticas, fato que também contribuiu com o aumento da oferta.

O preço do alho acompanhou a tendência da cesta e caiu 6,64%, passando de R$3,02 para R$2,82 (R$/200g) em média. Segundo a ANAPA (Associação Nacional dos Produtores de Alho), essa queda foi causada pela maior oferta do produto devido à melhora do clima nas principais regiões produtoras como Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Em conjunto, elas respondem por mais de 40% da quantidade de alho ofertado. Porém, para abastecer o mercado, é necessário importar o produto de países como Argentina e China. Segundo a fonte, este último tem praticado uma política de subfaturamento que também auxiliou a redução do seu preço. Há expectativa de que o preço do alho continue essa tendência no curto prazo.

Deixe um comentário