Prefeitura abre licitação para reforma e adaptação do Armazém 14A, no Engenho Central

Armazém externa 1A Prefeitura de Piracicaba, por meio da Semac (Secretaria Municipal da Ação Cultural), abriu o processo de licitação para adequações do Armazém 14A, no Engenho Central, que possibilitam receber a infraestrutura do Museu do Riso. As obras devem ser executadas em uma única etapa, no prazo de 120 dias contados do início da ordem. O valor do investimento é de R$ R$ 470.042,34. A abertura das propostas está programada para o dia 11 de maio.

Entre as principais intervenções estão instalação de plataforma elevatória para acesso ao mezanino do prédio, compartimentação do espaço para climatização e instalação de sistema de refrigeração (ar-condicionado), reforço e adequações nas instalações elétricas, pintura interna e externa (tratamento do revestimento existente), tratamento no piso e proteção contra incêndio. O total da área que será reformada e adaptada é de 566 metros quadrados.

O Museu do Riso irá abrigar cerca de 400 obras do acervo do Salão Internacional de Humor de Piracicaba, que este ano chega à sua 43ª edição. Quem assina o projeto arquitetônico e de museografia do espaço é o curador e diretor artístico Marcello Dantas, responsável por alguns dos melhores museus e exposições do Brasil e também do exterior. No ano passado, Dantas fez a apresentação do projeto ao prefeito Gabriel Ferrato, à secretária da Semac, Rosângela Camolese, e ao cartunista Zélio Alves Pinto, que integra o Conselho Consultivo e foi um dos criadores do Salão, em 1974.

Em seu projeto, Dantas dispõe o acervo do nosso Salão de forma informativa e interativa. No Museu do Riso, o visitante poderá acompanhar fatos que marcaram a história do Brasil e de diversos países nestes últimos 42 anos, desde que a exposição foi criada, de uma maneira inusitada e nada entediante, com muito bom humor”, reforça o prefeito Gabriel Ferrato.

Para a secretária da Ação Cultural, Rosângela Camolese, a criação de um museu reforça a importância do Salão Internacional de Humor para Piracicaba, para o Brasil e para o mundo. “Nosso acervo é riquíssimo e não provoca apenas o riso, mas, principalmente, a reflexão e a crítica sobre a história e sobre como ela mudou os rumos da civilização nas últimas quatro décadas”, justificou Rosângela.

ESTRUTURA Entre as instalações do Museu do Riso estão Ponta de Lápis, que ficará no centro do espaço. A sua função será a de expor ao público reproduções das obras premiadas ao longo da história do evento. Na parte onde existe o grafite do lápis haverá uma pequena redoma, onde será guardado o Grande Prêmio – Troféu Zélio de Ouro.

Outra instalação que integra o projeto é a Risativa, uma grande rotativa original. Nela são projetados conteúdos audiovisuais organizados por eixos cronológico-temáticos, ilustrando alguns dos assuntos que ao longo dos anos se manifestaram com frequência nos trabalhos dos participantes do concurso. Charges, tiras, cartuns e quadrinhos convivem com informações sobre o contexto, seus protagonistas e problemáticas.

No Confessionário, em uma estrutura intimista, fechada, são projetados vídeos dos próprios artistas que “confessam” suas tensões, seus segredos, suas neuroses e suas aventuras. A lista de entrevistados deve incluir personagens historicamente ligados ao Salão, artistas piracicabanos e de outras cidades que tiveram suas trajetórias influenciadas ou até formadas pela participação na exposição.

 

1 comentário

  1. […] publicado site A Província no dia 13 de abril de 2016. Acesso para a matéria original: clique aqui. acervo Arquitetura brasil cultura diversão Engenho Central história humor Marcello Dantas museu […]

Deixe um comentário